quinta-feira, setembro 02, 2004

Obrigação de amar

É incrível como as pessoas obrigam as outras a sempre estarem acompanhadas. E acredito que seja um paradoxo. Ao mesmo tempo em que é incentivado certo tipo de promiscuidade, é incentivado que se arranje alguém. Pode ser um traste, uma bosta, pode ser alguém que não tenha nada a ver com você, pode viver brigando. Mas o importante é não ficar sozinho.
Vejo tanta gente se sujeitando a humilhações dos companheiros/as. Mulheres apanham de seus maridos, ou então, se separam do marido e em seguida arranja um pior ainda, que bate, bebe, abusa sexualmente de suas filhas, e mesmo assim, ela continua com ele. Por que? É tão difícil ficar sozinha? Prefere ser humilhada por um traste? Quantos homens passam pela mesma situação? Agüentam chifres das namoradas, agressões, dentre outras coisas a mais, mas não largam o osso. Ou quando largam, já emendam em outro relacionamento. O importante é não ficar sozinho. Pra muitos, estar sozinho é sinônimo de infelicidade.
Mas peraí. Será que é tão impossível assim ser feliz sozinho? Eu posso me considerar uma pessoa feliz, mesmo não tendo namorado.
A primeira pergunta que muitas pessoas fazem quando começam a conversar comigo na net ao saber a minha idade é: ?você é casada??. E quando eu digo que não, logo emendam na pior: ?tem namorado??. Diante da negativa, vem a pergunta mais cretina de todas: ?por que??. Depois reclama quando leva um patão.
Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não sou anti amor. Gostaria sim, de ter alguém do meu lado, um companheiro, alguém que combine comigo. Conheço casais que são praticamente meu sonho de relacionamento, pessoas que vc vê que realmente existe amor, carinho, compreensão, respeito, e vontade de crescer juntos. Um exemplo, é da minha amiga Joseane, cuja história realmente me faz acreditar que o amor existe, e desse casal amigo meu de Balneário Camboriú Si e Junior, cujo relacionamento eu admiro pra caramba.
Mas enfim, eu tenho imã pra atrair gente que não vai dar certo. E pior, sempre quem mora longe. Não sei ao certo porque dessa sina de sempre gostar de alguém que mora longe, talvez Freud possa explicar. Talvez eu descubra isso mais tarde em alguma terapia que possa vir fazer. Só sei que depois da minha última quebrada de cara, em outubro do ano passado, sinceramente, liguei o FODA-SE. Estou muito bem assim sozinha, curtindo minha liberdade, e planejando minhas coisas pra daqui há uns 2 anos, ou talvez até antes, seja o que Deus quiser. Claro que nada impede de aparecer alguém que realmente valha a pena no meio do caminho. Mas sinceramente? Não estou nem aí pra isso. E posso até dizer que nem quero.
Quero curtir minha liberdade sem neura. Estou muito bem sozinha. Se for pra arranjar qualquer pessoa somente pra dizer que está com alguém, como conheço várias pessoas que fizeram, e até caíram na besteira de casar e ter filhos, e agora fica lá infeliz, pois fez a escolha errada, sinceramente , dou graças a Deus por estar sozinha.
Também não posso me considerar aquele tipo de pessoa que consegue se ver casada, com filhos. Pra ser sincera, nem sei se pretendo ter filhos, mas isso fica pra outro post. Vejo amigas minhas casadas, planejando ter filhos, muitas até tendo filhos. Aí eu me dou conta. Putz, eu estou com 27 anos, e não penso em casar. Não agora. Sinto alguma culpa por isso? Nunca! Não acredito nessa coisa de que toda mulher sonha em ter filho e montar família. Eu não sonho. Talvez um dia mude de idéia. Mas hoje em dia, eu quero toda liberdade do mundo. E não estou nem aí pras pessoas que acham que uma mulher com 27 anos já teria que estar casada. Vão continuar achando.
Acho que tudo tem sua hora e sua razão de ser. Cada um faz a sua felicidade. E também, por escolhas erradas pode fazer sua infelicidade...

See Ya!


Kiss - Forever

Nenhum comentário: