quarta-feira, agosto 27, 2008

E o troféu anta do dia vai para:

Parte da Zona Oeste de SP está sem energia elétrica

Esta figurinha aí. Sei lá q tipo de ataque este ser sofreu, se estava com diarréia e queria chamar atenção, se queria ser um suicida ''wannabe'' ou qq coisa do gênero. Só sei que um cara desses tem que ser muito imbecil pra subir numa rede de transmissão elétrica. Por causa disso, vários bairros da zona oeste ficaram sem luz por horas. Ê coisa de louco!

Não apoio o suicídio, mas também não sou daquelas que condena. Cada um sabe aonde o calo aperta, e se existe alguma ''condenação'' para esse ato, isso é entre o suicida e Deus lá no além.

Agora.. Por favor. Quer se matar blz, mas não atrapalhe a vida dos outros!

É cada uma que a gente tem que ver que fala sério..

Photobucket

quarta-feira, agosto 13, 2008

Instinto Maternal. Natureza humana ou convenção da sociedade?

Já aviso que esse texto vai ser longo.

Há tempos quero escrever sobre filhos, mas fiquei adiando, por falta de inspiração. Até que ontem, ao ver o jornal SPTV, me deparei com um caso mais do que podre. Um bancário, casado, pai de um filho ''caçava'' meninas que pediam esmola na rua para abusar sexualmente delas. O caso em si já dá um embrulho no estômago e vontade de cortar o pinto de um cara desses, mas o que mais me deixou com raiva foi... A mãe.. sim, a mãe da menina. Ela tinha ''apenas'' 11 filhos. ONZE FILHOS! E como se não pudesse piorar.. estava grávida do DÉCIMO SEGUNDO!!!!! E também tava pouco se lixando pelo fato da menina estar na rua até tarde da noite, ''sabe como é que é né moço, ela sai pra passear com a amiguinha, não tenho como saber o que ela tá fazendo.''

Eu não quero ter filhos. Essa é uma decisão que eu vinha amadurecendo há anos, e finalmente tomei a decisão. Nada contra crianças em si, mas simplesmente gosto da minha vida como está, e não me vejo criando um ser humano por anos. Acho muito bacana um casal que planeja, ou uma mulher que mesmo não estando preparada resolver ter o filho e o cria com dignidade. Mas definitivamente, instinto maternal não faz parte de mim.
Não, eu não acredito que o instinto maternal existe naturalmente. Se esse amor incondicional existisse, não existiriam mulheres com 11 filhos pouco se lixando se a filha tá na rua ou não, não existiriam mulheres que jogam seus filhos em lixeiras, que enterra recém nascido vivo, dentre outras atrocidades que vemos por aí. Maternidade deveria ser uma opção, e não uma obrigação. E essa ''obrigação'' da sociedade na qual ''toda mulher só se sente completa depois que tem um filho'' faz com que milhares nasçam em lares desestruturados, e essas tragédias ocorram.

Obviamente criar filho com dignidade não tem classe social. Existem muitos casais ricos que têm filhos só pra mostrar pra sociedade como eles formam uma família feliz, mas por debaixo dos panos, a família é toda podre. Assim como tem muitas pessoas pobres, que passam por dificuldades extremas, mas conseguem criar seus filhos com dignidade, fazendo com que eles cresçam e consigam ser alguém na vida. Um bom exemplo é o caso dos rapazes de classe alta que espancaram a empregada doméstica no Rio de Janeiro há um tempo atrás.

Mas é impressionante que quando eu falo que não quero ter filhos, tenho que ouvir várias pérolas. Como por exemplo: '' você vai morrer sozinha''. Uhm... Por acaso essas pessoas já visitaram um asilo? Existem muitos pais ali abandonados pelos trocentos filhos. Ter filho não foi nenhuma garantia de compania pra eles. Outras pérolas são piores ainda, carregadas de machismo e preconceito: ''mas uma árvore que não dá frutos é seca''. ''TODA mulher nasce pra ter filhos.'' ''Você nunca vai entender o verdadeiro valor da vida enquanto não tiver filhos''. "O verdadeiro sentido da vida de uma mulher é ser mãe.'' E por aí vai. O repertório de frases ridículas não acaba nunca.

Mas, se para essas pessoas, o instinto maternal existe, então queria que alguém me explicasse o motivo dessa mulher ter feito isso com sua filha com 6 anos:


Mãe que deixou menina com água e bolo diz que filha era 'esperta' e ficava sozinha


Olha só que beleza. A va*%($*&# da mãe simplesmente vai viajar com o maridão, e deixa uma criança de 6 anos trancada dentro de casa. Como se fosse a coisa mais normal do mundo. Como não bastasse não ter competência pra criar a menina, ainda me faz mais 2.. isso mesmo.. DOIS filhos.

Alguns trechos da reportagem merecem destaque:

"Três dias após a filha de 6 anos ter sido encontrada trancada sozinha dentro de casa em Fernandópolis, a 555 km de São Paulo, a mãe da criança, Daniele Aline de Santana, de 24 anos, negou que tenha abandonado a menina e disse se sentir “impotente” diante da situação."

óóóóó!!!!!!!!!!! Coitadinha dela.. Ela se sente impotente sabe. Mas não se sentiu impotente quando fez o filho. E por falar nisso.. Aonde será que está o pai dessa criança hein? Pq fazer filho é fácil, quero ver criar.


"Segundo ela, ao falar da viagem, a filha de 6 anos teria dito que não queria ir e preferia ficar na casa da tia, que de acordo com a mãe, mora perto, para não faltar às aulas."

Interessante.. Então a culpa é da menina? Desde quando uma criança de 6 anos tem autonomia de decidir se quer ir ou ficar sozinha em casa? E que tipo de mãe é essa então que simplesmente acha isso normal?


"Apesar de ter falado para a filha ficar com a tia, Daniele conta que não conseguiu falar com a mulher. “Não consegui avisar, mas pensei: quando minha filha chegar lá, ela vai saber que eu não estou aqui e vai deixar a menina ficar lá."

Poxa!!! show de bola!!! Ela vai viajar, larga a menina e nem se toca de pelo menos avisar a tal da tia que a menina vai ficar na casa dela? Quanto instinto maternal tem essa mulher!! Fico até emocionada, acho que vou chorar.


E pode piorar.. Ela já perdeu a guarda de outro filho, que mora com o pai em Salvador. Pelo menos essa criança pode contar com o pai, outras não têm a mesma sorte. Mas claro que a mãe super instintiva e amorosa diz que foi um mal entendido:


Não tem nada de perda de guarda. Eu passei a guarda para o pai dele. Eu já tinha me separado dele, morava com minha tia, estava grávida dessa de 2 anos, com a de 6 anos (que foi encontrada trancada em casa) e do outro menino. Ele não pagava pensão. Eu morava de favor. Começou aquela pressão na minha cabeça. Então eu acabei ligando para o Conselho Tutelar e pedindo para o pai assumir a guarda.

Uhmmmm, vou acreditar.. Pra dar um crédito pra super-instintiva-amorosa-mãe.


"A dona-de-casa conta ainda que, nos últimos tempos, anda tendo problemas com filha. “Ela não é uma criança muito animada. Só quer as coisas do jeito dela. Ela é uma criança muito revoltada. Hoje em dia, você não pode bater, não pode gritar, não pode educar. Se você grita mais alto, o vizinho chama o Conselho Tutelar. Você acaba não tendo pulso firme e a criança percebe isso. Tem coisas que eu mandava ela fazer e ela não fazia.”

Poxa.. Ela tá tendo problemas com a filha. Por que será né? Ela é uma mãe super amorosa, e querida, deve ser carinhosa com a criança todo o dia. Provavelmente ela acha que espancar a menina é educar. Que nem aquela empresária maluca que torturava a menina de 12 anos. Ela não tinha idéia que tava machucando, achava que estava educando. Pois é.

E ainda tem a coragem de dizer que as pessoas julgam muito sem saber. Ninguém está julgando. Estamos apenas constatando que essa mulher está longe de ser um exemplo de mãe. É apenas mais uma procriadora que nem muitos por aí, que enfia filho no mundo sem estrutura nenhuma pra criar. Nem financeira.. Muito menos emocional.

Mas eu aqui, que não quero ter filhos sou considerada uma monstra pela sociedade, pois de acordo com eles, não quero fazer meu papel de mulher..

É... esse país tem muito que evoluir ainda.. Enquanto na Inglaterra por exemplo, uma mulher que quer fazer uma laqueadura mesmo sem ter filhos consegue a cirurgia - depois de uma avaliação minuciosa obviamente - aqui no Brasil fazer uma laqueadura é missão impossível. Existe a lei, mas ela ''não pegou''. A mulher pode ter 20 anos e 15 filhos. Mesmo expressando claramente a vontade de ser esterilizada não consegue, pois ''é muito nova''. Resultado de um país retrógrado, falso moralista e machista.

Mas ainda tenho esperança que essa mentalidade possa mudar.. Ou devo perdê-la?