domingo, maio 30, 2010

Margarina x Manteiga

Há tempos queria comprar uma torradeira, daquelas estilo americano. Peguei essa mania de comer torradas quentinhas com manteiga quando morei no Canadá, e quando vi essas torradeiras pra vender na web pensei: por que não comprar uma? Depois de um tempo enrolando, acabei comprando, e lá fui eu me aventurar nas torradas novamente.
Eu não tenho o costume de passar margarina nem manteiga no pão pra fazer sanduíche, só quando faço misto quente, e vinha reparando que o gosto das margarinas vem sendo alterado pra pior. Mas como o misto quente tem queijo e presunto, nem dava muita bola pra isso. Até que... Na falta de manteiga, passei margarina nas torradas que havia acabado de fazer ao inaugurar minha tão desejada torradeira e... Que NOJO! Ela não derreteu... ficou aquela gosma no pão, e o gosto então, pra lá de ruim. Aí que me dei conta de como mudou o gosto da margarina, e bateu uma saudade da Doriana da época em que eu era criança. Como as margarinas estão uma nhaca, o jeito foi correr atrás da manteiga, e foi exatamente o que eu fiz.

Não tive como não lembrar da eterna guerra 'Margarina x Manteiga'. Muitos falam que margarina é um pouco mais saudável que manteiga, pois não tem colesterol e bla bla bla. Aí, por curiosidade, fui ler os ingredientes das duas.

Ingredientes da Manteiga:



Creme de leite, cloreto de sódio e corante natural de urucum INS 160b.

Ingredientes da Margarina:

Água/e ou permeado de leite fermentado, óleos vegetais líquidos e interesterificados (hein????), sal, leite em pó desanatado reconstituído, vitamina A, e beta caroteno, estabilizantes mono e diglicerídeos e éster de poliglicerol de ácido ricinoléico, conservador benzoato de sódio, e/ou sorbato de potássio, aroma idêntico ao natural de manteiga (isso é mentira), acidulantes, ácido lático e ácido cítrico, antioxidante EDTA cálcico dissódico, corantes naturais de urucum, cúrcuma e antioxidante BHT.

Ah sim, essa é uma margarina comum, sem aquelas coisas de baixar colesterol e bla bla bla, e acredito que seja a que a maioria do povão compre, pois as especiais são bem mais caras. Enfim, não tenho como comparar com os ingredientes das margarinas antigas, pois me falta essa informação. Só sei que meleca por meleca, ainda prefiro a manteiga. O gosto continua bom, e o melhor: derrete na torrada, e não fica aquela coisa gosmenta com gosto sabe lá de que..

E viva a manteiga!

quinta-feira, maio 27, 2010

Cada vez mais restrições..

Essa semana, me chamou a atenção uma reportagem sobre Curitiba ter uma lei que proíbe o uso de celulares dentro das agências bancárias. O motivo até seria nobre - evitar o golpe da ''saidinha do banco''. Até aí entendo, afinal, não tem nada pior que ser assaltado em plena saída do banco. Aliás, ser assaltado em qualquer lugar não é nada agradável, obviamente.

Mas o que eu questiono nem é isso. O que eu questiono é que em nome de uma pseudo-segurança, nós, cidadãos honestos, que trabalhamos, pagamos impostos - que deveriam ser revertidos em serviços públicos de qualidade, nos vemos cada vez mais privados das coisas.

Sequestro-relâmpago? Simples! É só limitar os saques nos caixas eletrônicos. Por fim acabaram limitando até o horário de retirada de dinheiro. Tá tendo muito assalto a banco? Coloquem as desgraças daquelas portas detectoras de metais, e deixe o controle nas mãos de seguranças, muitos sem preparo. E quando ocorre uma tragédia como a do homem que usava marcapasso, abafam o caso e fica por isso mesmo. Isso sem contar os inúmeros casos de humilhações sofridas por várias pessoas pelo Brasil afora. Pior ainda é ter que ler a mentira deslavada da Federação Brasileira dos Bancos, dizendo que ''O vigilante não tem nenhuma ação para fazer o bloqueio da pessoa que está entrando no banco''. Alô alô! Mentir é feio hein!!

E agora, vem mais uma novidade: proibir a pessoa de usar celular dentro das agências. E mais uma vez o cidadão honesto se vê privado de algo por causa da bandidagem. Aí é que eu me pergunto: diminuiu a violência? Não é o que eu vejo por aí nos noticiários. Os assaltos a bancos estão se tornando cada vez mais violentos, principalmente nas cidades do interior. E os bandidos continuam entrando nos bancos, com ou sem porta. Aí entra novamente o lance do famoso ''controle das portas''. Há um tempo atrás, vi no noticiário um cara entrando armado em uma agência bancária. Ao ser barrado, levantou a blusa, mostrando que não havia nada. Entrou. E a arma estava NAS COSTAS. Infelizmente perdi esse link, adoraria colocá-lo aqui.

É óbvio que não sou contra medidas para melhorar a segurança. Mas não acho que privar as pessoas seja de falar no celular, seja de tirar dinheiro, ou seja lá de qualquer outra coisa resolva o problema. O buraco é bem mais embaixo. Infelizmente moramos no país da impunidade, e acho que a raíz da maioria dos problemas com a violência é exatamente essa: a quase certeza da impunidade, principalmente quando envolve menor na história. Ao alimentarmos a impunidade, damos uma mensagem de que o crime compensa. Junte isso com crianças nascendo a torto e a direito, sem nenhuma estrutura familiar, crescendo jogadas, e assim virando presas fáceis para o tráfico e a bandidagem, pessoas sem perspectiva de vida cada vez mais ignoradas pelo poder público, e etc.. Como nenhum governo tem boa vontade em investir pesado em educação (digo investir mesmo, e não enfiando todo mundo na escola, e passando metade do tempo sem professor, e com uma qualidade de ensino sofrível), em qualificação profissional, saúde, segurança, é muito mais fácil criar leis ridículas limitando a liberdade das pessoas. E a violência aumenta cada vez mais. Triste...

segunda-feira, maio 24, 2010

Dia nacional do café!

Olha só que legal, nem sabia que hoje era o dia nacional do café. Uma delícia!
Eu sou suspeita pra falar, pois adoro um café bem quentinho uhmmmm! Lembro quando fui pra Itu, ao chegar numa fazenda, senti aquele cheiro delicioso de café recém torrado.. Por falar nisso, preciso voltar lá pra comprar mais um pacote daquela delícia!
Além do que, nada melhor que uma xícara logo cedo, pra ajudar o cérebro a pegar no tranco.

E viva o café! O que seria de mim sem ele, ainda mais odiando acordar cedo como eu odeio... :P





sexta-feira, maio 21, 2010

30 anos de Pac Man

Hoje ao abrir o Google, dei de cara com o logo em forma de Pac Man! Aí que fui descobrir que hoje, o famoso joguinho come-come faz 30 anos. Olhem só que interessante.
Se formos parar pra pensar, é um jogo meio dã. Um bichinho parecendo com uma rodela de pizza sai comendo trocentas pastilhas, foge de fantasmas, come pílulas mágicas para poder comer fantasmas, e também tem as frutinhas, que conforme vamos passando de fase, elas mudam.



Lembro dos meus tempos de vídeo-game (leia-se Atari, o único que joguei), ficava horas jogando pac man, e outros jogos inesquecíveis. Hoje em dia, com toda tecnologia, é difícil acreditar como podíamos ficar horas num jogo tão primitivo, e com sons tão toscos. Mas pra tecnologia da época, nossa, isso era tudo de bom! E tanto é que até hoje podemos jogar! Não só no logo do Google hoje, mas também no iGoogle. E viva o Pac Man! Parabéns pelos seus 30 aninhos.

segunda-feira, maio 17, 2010

Virada Cultural

Achei que esse ano não iria na Virada, pois tinha uma prova de concurso bem no domingo de manhã. Mas acabei indo, e fiquei super feliz por isso. Depois da prova me encontrei com meus amigos, e fui até a Liberdade, estava tendo eventos sobre a cultura japonesa, e aproveitei pra comer um delicioso yakissoba! Nham! Depois de uma prova sempre saio com fome, e aquele yakissoba caiu numa excelente hora...

Depois ficamos matando tempo, e fomos ver o show do Abba, que era cover, mas pra mim era um clone. Os caras eram iguaizinhos aos originais, não só em aparência, como também em vozes. Eu me senti vendo um show do Abba original. Pulei, dancei, cantei.

Depois fui pro show dos Titãs. Foi muuuuuuuuita gente pra esse show, tava uma muvucada tão grande, e estava tão cansada, que infelizmente não aguentei ficar até o final. Saí faltando uns 15 minutos pra terminar. Mas mesmo assim curti bastante, pulei, berrei, fui esmigalhada pela multidão.. Mateu saudades dos meus tempos de shows lotados. Além do que, fazia tempo que queria ir em um show dos Titãs. E matei minha vontade.

Eu acho a idéia da Virada Cultural fantástica. É um evento que tem atrações pra todos os gostos, e que rola com uma respectiva tranquilidade. É óbvio que acontecem algumas brigas, infelizmente um rapaz morreu na madrugada de sábado pra domingo. Infelizmente também ocorrem atos de vandalismo, coisa abominável é óbvio, mas pelo tamanho do evento, não acho que seja um número tão expressivo. Em um clássico do futebol ocorrem bem mais atos de vandalismo e mortes, e olha que é bem menos gente andando na rua.

É claro que o ideal seria que não acontecesse nenhuma morte e nenhuma quebradeira, mas sabemos que onde tem aglomerado de pessoas, muitas bêbadas e drogadas, é impossível controlar tudo. Agora algo que não me desce é essa obsessão pelo lixo no final do evento. Hoje no G1 tinha uma manchete enorme dizendo ''Veja o antes e depois da Virada Cultural em São Paulo.'' Antes que venha alguém me criticar, sou completamente contra jogar lixo no chão. Eu faço a minha parte. Mas não é essa a questão. A questão é que nunca vi nenhuma crítica parecida no final de uma micareta. Nem no final do carnaval, seja no Rio ou em Salvador, ou em qualquer outro lugar. Nem no final da Oktoberfest em Blumenau. A impressão que dá é que a mídia quer desmerecer a Virada Cultural por causa disso, e eu não acho justo. Lembro quando eu morava em Blumenau, todo final de Oktoberfest era uma lixeira, e não somente nos pavilhões, na rua também. E tenho certeza que no final do carnaval em Salvador as ruas ficam imundas com lixo, merda, e mijo. E olha que lá dá gringo pra caramba, e duvido que eles jogam lixo na lixeira. Mas isso ninguém fala. Todo mundo só fala do ''carnaval, alegria, folia''. Mas da Virada Cultural falam obsessivamente do tal lixo. Não importa se foi um sucesso. O que importa é que no fim, tem muito lixo e mijo na rua. Ora bolas! Infelizmente nossa cultura é essa mesmo, jogar lixo no chão. Cadê a educação que vem de casa? E nas escolas? Não adianta tentar desmerecer um evento cultural por causa disso. O ideal seria: educação. Os pais educarem seus filhos, mas como vão fazer isso se eles não foram educados pelos seus pais? Aí que entra o papel da escola, mas com nossa educação sucateada, fica difícil. Então vamos parar com essa viajada. Além do que... Alguém teve coragem de usar aqueles banheiros químicos??? Lá longe dá pra sentir o cheiro. Sem noção!

E viva a Virada Cultural. Que venha a do ano que vem! Espero não ter prova bem no domingo de manhã.. Aí poderei virar, como fiz ano passado!

quarta-feira, maio 12, 2010

Doe Sangue.

Olá pessoal.

Hoje no twitter vi um post sobre a necessidade de doadores de sangue dos tipos A, B e O negativo.

Você mora em São Paulo e seu tipo sangüíneo é um desses citados acima? Então compareça ao posto mais próximo da Pró-Sangue, e faça a sua doação. Esse ato simples ajuda muitas, mas muitas vidas mesmo!

Eis os endereços:

Posto Clínicas
Avenida Dr. Enéas Carvalho de Aguiar, 155 – 1º andar – Cerqueira César
2ª a 6ª, das 7 às 19 horas; sábados, domingos e feriados das 8 às 18 horas
Estacionamento gratuito subterrâneo – Garagem Clínicas

Posto Dante Pazzanese
Avenida Dante Pazzanese, 500 – Ibirapuera
2ª a 6ª, das 8 às 17 horas e sábado, das 8 às 16 horas

Posto Castelo Branco
Rua Ari Barroso, 355 – Osasco
2ª a 6ª, das 8 às 17 horas e sábado, das 8 às 16 horas

Para doar sangue, basta estar em boas condições de saúde, vir alimentado, ter entre 18 e 65 anos, pesar, no mínimo, de 50 quilos e trazer documento de identidade original com foto. Para obter mais informações, ligue para o Alô Pró-Sangue: 0800-55-0300.

Aliás, caso você tenha outro tipo sanguíneo, vá doar também. Mora em outra cidade? Procure o banco de sangue mais próximo a sua casa. Afinal, sangue nunca é demais, ainda mais em um país onde infelizmente tão poucas pessoas doam e tantas outras precisam...

terça-feira, maio 11, 2010

Camisetas!

Existem vários tipos de roupas que eu gosto. Vestidos são legais, blusas dos mais variados estilos são muito legais.. Tenho muitas, como uma boa mulher que se preze, óbvio. Mas...

O que eu adoro mesmo são.. camisetas! E tenho várias delas. Camisetas de cidades, com estampa, sem estampa, de várias cores.
Uma das minhas favoritas é uma de São Paulo que comprei na Sampa in Stampa. Aliás, pra quem gosta de São Paulo, ou pra quem coleciona camisetas de cidades e procura uma daqui com qualidade, recomendo essa loja, as camisetas são muito confortáveis, e as estampas são 10.
Fazia tempo que estava afim de comprar uma do Atari. Sempre via o pessoal na rua usando, mas nunca tinha achado pra comprar, até que vasculhando a net, achei o Camiseta Records. Nossa, eu adorei esse site. Tem várias camisetas interessantes, e adivinha? Lá no meio achei.. ATARI! E claro que não resisti!

Apresento-lhes minha mais nova aquisição:



Peguei a cor cinza chumbo, pois achei esse verde meio esquisito... :P
Não vejo a hora de chegar!!

Yepa Yepa!

sexta-feira, maio 07, 2010

Quando a terceirização vira desculpa esfarrapada.

Eu me pergundo qual é o treinamento que é oferecido aos vigilantes dos bancos. Porque pelas notícias que andamos vendo por aí, provavelmente pegam qualquer um na esquina, botam uma arma na cintura e mandam vigiar os bancos por aí.
Aí nesse meio aparecem uns psicopatas, com sede de poder, e se sentem os maiorais. Afinal, depende deles a nossa entrada nos bancos. Infelizmente nem tudo podemos resolver somente nos caixas eletrônicos. Aí lá vai a gente ficar a mercê de alguns psicopatas com o 'poder do controle-remoto' nas mãos.

Pior quando a pessoa se acha no direito de decidir em quem atirar. Como aconteceu com essa pessoa aqui. Usando marcapasso, tentou entrar em uma agência do Bradesco e simplesmente levou um tiro na cabeça. Agora me diz.. Como um cara desses, totalmente desequilibrado, consegue emprego de VIGILANTE? Como um cara desses consegue porte de arma?

Aí temos um outro problema. Aliás, um problema enorme na minha opinião. Chama-se terceirização. É claro que em alguns casos a terceirização melhorou certos serviços, mas infelizmente muitas vezes trouxeram mais problemas. Como no caso descrito acima: O Bradesco tirou o corpo fora. A família teve que fazer das tripas coração pra conseguir transferir a vítima desse ataque covarde para um hospital decente. E provavelmente, isso agravou mais ainda o quadro.

Aliás, essa desculpa é praxe. No caso da mulher que teve que entrar no banco de sutiã há um tempo atrás, o banco falou a mesma coisa: ''Nossa segurança é terceirizada''. E nos péssimos atendimentos dos serviços de telefonia e banda larga? ''A empresa BlaBlaBla afirma que nossos serviços de teleatendimento são terceirizados''. Isso pra mim pode ser traduzido em uma frase: Isso não é problema nosso, queremos é nos entupir do dinheiro saindo dos seus bolsos, e o resto que se f***''. E como nosso judiciário é mais lerdo que uma lesma com cãimbra, nossas leis dificilmente funcionam como deveria, e os poderosos lá de cima tem tudo rabo preso... O povo continua se ferrando. Ou até perdendo a vida...

domingo, maio 02, 2010

Retoques em fotos: qual o limite?

Hoje ao abrir o site do G1, uma manchete me chamou atenção: Culto a imagem perfeita faz até umbigo sumir. Achei curioso e cliquei..

Era exatamente isso: uma reportagem sobre os exageros do uso do tão falado Photoshop. E como os exageros transformam as pessoas em bonecas.
Não tenho nada contra os retoques. Acho que eles são sim válidos, para tirar alguma imprefeição, ou realçar determinada parte do corpo das modelos.
Mas acho que com a banalização do Photoshop, criou-se um exagero de retoques, inclusive até algumas aberrações como a manchete da própria reportagem. Ou pior ainda, como o caso dessa modelo:

Isso é bonito??!!??!!

Existem modelos por aí sem umbigo.. Magras ao extremo.. Com a cara tão lisinha, que deixa até a boneca Barbie morrendo de inveja. Chegamos a um ponto em que nem sabemos se aquela modelo na foto é ela mesmo. Do jeito que retocam, é capaz de esbarrarmos com algumas delas na rua e nem reconhecê-las.

Foi-se o tempo em que retoques eram feitos de forma artezanal, e deixavam as pessoas com cara de.. pessoas. Podemos comparar as fotos nas revistas até a década de 90 com as de hoje. As modelos eram bonitas, com cara de gente. Com corpos reais. Hoje são todas plastificadas. E não é só nas revistas que vemos retoques ao extremo. Nos vídeos isso também acontece. Até a Madonna fica com cara de adolescente nos vídeo-clipes. Repito, não parecem pessoas, parecem robôs, bonecos, ou qualquer coisa que o valha.

Eu me pergunto até onde vai essa obcessão pela perfeição. E se isso é tão necessário assim. Felizmente já estão surgindo alguns movimentos contra esse excesso de retoques. No exterior já é comum capas de revistas com modelos retocadas sim, mas sem exageros. Aqui no Brasil algumas modelos já aderiram a essa nova tendência. Agora vamos ver se isso vai pegar mesmo, ou se é somente algo passageiro. De qualquer forma, já acendeu uma luz de curiosidade nas pessoas.

E viva o Photoshop! Ele facilitou a vida de muita gente. Mas que seja usado com moderação.