domingo, janeiro 29, 2012

Garfield.

Há algumas sexta-feiras fui me encontrar com o namorado na Livraria Cultura como fazemos toda sexta. Só que naquele dia ele ia sair mais tarde do trabalho, então fiquei rodando lá dentro vendo os livros, eis que me deparo com este:



Dificilmente compro livros em livrarias propriamente ditas. Compro tudo pela internet pela praticidade e também pelos preços que são menores. Mas dessa vez não resisti. Como ia ficar mofando algum tempo por lá ainda, e além do quê, sempre fui super fã do Garfield, não pensei muito: comprei.

Quando era criança, tinha vários livrinhos do Garfield. Sempre me diverti com as tirinhas, mas hoje posso dizer que me divirto mais ainda, pois antes eu não tinha gatos, e agora tenho. E pra completar a viajada, minha mãe arranjou um cachorro, então a diversão ficou mais legal ainda.

Não tem jeito, gatos têm vontade própria. Acho que é isso que eu mais curto nos felinos. Também gosto de cães, já tive vários, e confesso que tenho saudades de ter cães grandes. Mas gatos, por ter vontade própria, conseguem ser divertidíssimos. E quando vejo o Garfield zuando com o Odie não tem como não rir, porque é o quê o Fritz faz com o Freddie. Ou então quando o Odie fica todo bobão abanando o rabo com aquele linguão, e o Garfield fica olhando com aquela cara de 'que anta'. Vira volta é o que acontece por aqui também. Não tem como não rir.

Esse livro foi um achado! Ainda estou na metade, mas tenho certeza que muitas risadas ainda virão.

quarta-feira, janeiro 25, 2012

São Paulo - 458 anos.

E minha cidade querida faz 458 anos hoje. É tempo pra caramba se considerarmos que o Brasil é um país jovem.

Dia 16 de julho vão fazer 4 anos que estou morando aqui. Parece que foi ontem a mudança. Como o tempo voa. Também me lembro dos 450 anos de São Paulo. Eu estava aqui na época. E fui embora triste, como sempre ia.. É horrível você voltar para um lugar na qual você não pertence. E hoje em dia posso dizer que, mesmo adorando viajar, eu volto feliz. Porque sei que estou voltando para o meu lugar. Custei a chegar, e agora não saio mais. Sair daqui só pra viajar, visitar amigos, passear. Mas viver é aqui!

Parabéns São Paulo!

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Sacolas plásticas: vilãs ou vítimas?

Há tempos ouvimos falar de que o ideal seria proibir os mercados de distribuírem as famosas sacolinhas plásticas. Até concordo que deveríamos diminuir o uso delas, mas pensando bem, não acho que elas sejam totalmente as vilãs da história.

Sacolinhas plásticas tem muitas utilidades, principalmente para armazenar o lixo úmido. Ou seja, fazíamos as compras, chegávamos em casa, e as sacolinhas eram praticamente todas reutilizadas. Claro que tem os sem noção que jogam na rua, nos rios, e etc, mas não acho que isso seja um problema específico das sacolas, e sim da falta de educação do povo, afinal, até sofá jogam no rio.

Até a pouco tempo era assim, eis que, de repente, começaram com a idéia de que as sacolas são as principais vilãs do meio-ambiente. E o mais engraçado disso tudo é que focaram somente nas sacolas. Agora, vamos parar pra pensar: elas são as únicas coisas de plástico que trazemos do mercado? Não! Praticamente tudo que trazemos do mercado tem plástico. Queijo, presunto, carnes, garrafas pet, frutas, legumes, salsicha, linguiça, etc etc etc. Tudo isso vem embalado em.. plástico! E o quê acontece com esse plástico todo? Vai pro lixo. Não é interessante pras indústrias de reciclagem utilizarem esse plástico, pois a venda é feita por quilo, e a $ que eles ganhariam seria muito pouca. E lá vai todo esse plástico jogado nos lixões...

No fundo, o que os mercados viram foi uma forma de lucrar em cima do politicamente correto. Eles simplesmente viram um filão muito interessante, afinal, a moda agora é ser pró-meio-ambiente. O problema nem é isso, o problema é a pessoa simplesmente afirmar que está a favor do meio-ambiente, mas não para pra pensar. E o quê os mercados fizeram? Vamos vender as sacolas - teoricamente biodegradáveis - . E vamos também vender sacolas retornáveis feitas de garrafas pet! Essa atitude seria louvável se gerasse emprego no Brasil e utilizassem garrafas pet no Brasil, mas! Que nada, as sacolas vem do.. Vietnã! Além do que, agora teremos que comprar sacolas de lixo feitas de... plástico! E caras! Sim, saco de lixo é caro. Lá vai a gente ter mais uma despesa mensal na compra.

Ou seja, condenaram as uteis sacolinhas plásticas. Mas os mesmos mercados que agora estão lucrando mais ainda com elas, sacos de lixo e sacolas retornáveis, não diminuíram as embalagens plásticas dos seus produtos. Ou seja, hipocrisia pura.

Existem várias maneiras de diminuir embalagens descartaveis. Por que não voltam as garrafas de vidro retornáveis de refrigerante e água? Só assim já diminuiria drasticamente o lixo, pois as garrafas pets são as maiores vilãs do meio ambiente, muito mais do que as famosas sacolinhas. Por que as pastas de dente não voltam a ser embaladas no material que era antes? Por que as indústrias não pensam em embalagens realmente recicláveis, ou até mesmo reutilizáveis? Por que os eletrodomésticos não podem ser feito de material mais resistente e duradouro, como era antigamente? E os brinquedos? Hoje em dia praticamente não existe brinquedos que não sejam de plástico...

Enfim, idéias existem, mas isso não gera lucro, e nem é 'politicamente correto'. O legal é vestir uma camiseta 'verde' e bradar aos quatro ventos ser contra as horrendas sacolas plásticas!

domingo, janeiro 01, 2012

Feliz ano novo!

E chegou 2012!

2011 passou que nem um foguete por mim. E vou confessar, deixou saudades. Foi um ano em que realmente aproveitei, e muito. Viajei pra lugares muito legais, comecei a namorar, comecei a trabalhar.. Posso dizer que foi o ano em que minha vida finalmente entrou nos eixos.

Confesso que deixei um pouco o blog de lado, mas esse ano quero me organizar melhor, e postar com mais frequência.

Espero que 2012 seja repleto de coisas boas assim como foi pra mim em 2011. É o que desejo a todo mundo que me visita por aqui.

:)