quinta-feira, janeiro 27, 2011

Patrulha politicamente correta.

Cada dia que passa me convenço de que a patrulha do politicamente correto chegou pra ficar. E eu, sinceramente, tenho nojo disso. Daqui a pouco teremos todos que instalar um programa pra vigiar tudo que escrevemos, sob pena de sermos linxados por fazer comentários ditos 'errados'.
Estava navegando por uma determinada comunidade no orkut, e me deparei com um tópico que dizia assim: 'Músico do Kings Of Leon acusado de homofobia'. Fiquei curiosa e acabei lendo a reportagem sobre o ocorrido.
Primeiro quero deixar bem claro: Sou a favor de gays terem os mesmos direitos dos héteros, não só no Brasil mas em qualquer lugar do mundo. Ponto. O que cada um faz na intimidade não me diz respeito, e acho ridículo essa preocupação excessiva com os buracos alheios. Direitos civis devem sim ser para todos os cidadãos, independente do que eles fazem ou deixam de fazer nas suas vidas privadas.
Mas existe uma diferença entre homofobia e politicamente correto. Há um tempo a moda era o racismo. Tudo era racismo. Até o fato de uma negra querer alisar seus cabelos era considerado um crime mortal pelos ativistas politicamente corretos em questão. O tempo foi passando e a bola da vez é a homofobia. A discussão começou a se 'aprofundar' mais quando ocorreram as agressões na Avenida Paulista. A maior preocupação sobre o caso era se a agressão foi motivada por homofobia ou não. Inclusive houve uma discussão a respeito de que se a agressão não tivesse motivos homofóbicos, não teria porque prender os agressores. O lance de arrebentar a cara de uma pessoa com uma lâmpada somente não era motivo pra prisão. O importante era saber se os agredidos eram gays ou não. Ora bolas! A agressão em si já foi um ato bárbaro, os agressores devem sim ser punidos, sejam as vítimas gays ou não!
Mas voltando ao assunto da reportagem em si: Eu achei ridículo esse linxamento do baterista. Primeiro que, quem deveria pedir desculpa é o tal criador dessa série [que nunca assisti, diga-se de passagem, então nem sei direito do que se trata]. Foi ele quem começou com a palhaçada dando mó piti não só com o Kings of Leon, mas com outras bandas que se recusaram a licenciar suas músicas para o tal seriado. Ninguém é obrigado a licenciar suas músicas. Portanto, os integrantes desta banda estão no seu direito. Se o criador dessa série fosse uma pessoa equilibrada, simplesmente deixaria de lado e iria atrás de outros artistas não é? Mas que nada, o maluco simplesmetne saiu xingando todo mundo de egoísta e idiota. Só que não é todo mundo que tem sangue de barata, e o baterista é um deles. Revidou na mesma moeda. Se é certo ou errado, é discutível. Mas a única certeza de que eu tenho é: quem fala o que quer, ouve o que não quer. Simples assim. Lei da ação e reação. Se você quer ser respeitado, comece respeitando. Essa deveria ser a regra básica de convivência, mas pelo visto quase ninguém se lembra disso.

terça-feira, janeiro 25, 2011

Parabéns São Paulo!

Não podemos escolher onde nascer, mas podemos escolher onde viver. E eu escolhi São Paulo. Nunca escondi meu amor por essa cidade, por mais defeitos que ela tenha.

Hoje São Paulo completa 457 anos de história. Então, nada mais justo que eu deixar meus Parabéns registrado aqui.

Parabéns São Paulo! Amo muito viver aqui!

segunda-feira, janeiro 24, 2011

Dias divertidos

Esse começo do ano está sendo das visitas do Norte. Minha prima de Manaus veio visitar meu tio, e acabou passando uns dias aqui em casa. E depois de 10 anos, finalmente pude rever minha amiga do Acre, a Laura.
Conheci a Laura nos bons tempos de IRC, quando ela ainda morava e estudava em Presidente Prudente. Como eu ia direto pra lá, acabamos nos conhecendo pessoalmente, e nesse meio tempo veio um convite para visitá-la lá em Rio Branco. E lá vou eu em dezembro de 2001 rumo ao Acre. Foi quase um mês divertidíssimo com ela e toda família. Com direito a uma viagem altamente boiante pra Bolívia, e guerra com mosquitos extremamente simpáticos com turistas. Voltei pra casa, e acabamos que não nos vimos mais pessoalmente. Até que o tempo passou, vim pra São Paulo, e agora ela veio pra cá com a mãe.
Quarta-Feira fomos fazer compras no Bom Retiro. Começamos tomando um belíssimo banho de chuva, com direito a guarda-chuva voando, e minha prima tirando os crocs pra poder correr. Divertidíssimo!
Como nessa época São Paulo é a terra do dilúvio, Quinta-Feira nosso plano de visitar o prédio do Banespa miou. Acabamos ficando pela Paulista, e fizemos uma maratona. Andamos, andamos, andamos, andamos. Pegamos chuva e andamos. E consegui finalmente comprar a sandália Havaianas que queria! Yuhu!
Mas o dia mais divertido foi Sábado. São Pedro e Murphy resolveram dar uma trégua, e não choveu por aqui! Ê que maravilha! E fomos ao show do Móveis Coloniais de Acaju no auditório do Ibirapuera. O show foi ótimo, como sempre. E de quebra, consegui comprar uma camiseta! Me enfiei naquela muvucada da lojinha e consegui. Da outra vez tava 300 vezes mais muvucado, e eu tava tão podre de tanto pular que havia desistido...
Agora estou esperando ela voltar da 25 de Março pra gente se ver de novo. Isso se não cair outro dilúvio que nem o de ontem. Uma semana passa rápido, e daqui a pouco ela está indo embora.. Bem que o Acre poderia ser mais perto né..

sábado, janeiro 15, 2011

Atitude digna.

É muito triste o que está acontecendo na região serrana do Rio de Janeiro. Fiquei chocada ao ver a destruição, cidades inteiras reduzidas a escombros e lama, vidas perdidas e pessoas desamparadas, desesperadas atrás de seus entes queridos.
Mas no meio de tanta desgraça, uma coisa me chamou a atenção. Essa mulher, que foi resgatada enquanto via sua casa literalmente se desfazer no meio de tanta água. O resgate em si foi algo praticamente improvável, mas que deu certo. Mas o que mais me chamou a atenção foi o fato desta senhora tentar até o último momento salvar seu cão de estimação. Mesmo num momento extremo, ela não se esqueceu de seus animais. Infelizmente não teve jeito, afinal, se ela não largasse o cão, seriam os dois, ele e ela mortos. Mas sua atitude foi extremamente louvável.
A atitude dela foi um tapa na cara de pessoas extremamente fúteis, que jogam seus animais na rua porque rasgou o sofá, porque está velho, doente e dando despesa, ou simplesmente porque querem viajar e não tem lugar, ou não querem gastar dinheiro em hospedagem para seus animais. Em Blumenau era muito comum ver cães jogados na rua, vagando sem direção, enquanto seus donos estavam comemorando a virada do ano na praia. E essa mulher foi digna em até o último momento tentar salvar seus cães. Seria totalmente compreensível se ela simplesmente agarrasse a corda e não tentasse salvar nenhum. Mas ela tentou. Infelizmente não conseguiu. Mas fica aqui minha admiração a esse grande ser humano. Que sirva de exemplo pra gente aí que na primeira dificuldade larga seus bichos na rua como se fossem lixo.

sábado, janeiro 08, 2011

Exposição excessiva ou invasão de privacidade?

A mídia brasileira está em polvorosa com a presença da cantora Amy Whinehouse. Aliás, por onde ela passa, o povo vai atrás tentando flagrar alguma coisa bizarra que ela apronta, afinal, grande parte da sua fama infelizmente é devida mais às bizarrices do que suas músicas. Não vou tecer comentários sobre seu talento musical, afinal, gosto é gosto, cada um escuta o que quer e eu não tenho nada a ver com isso. Na verdade o que me chamou a atenção foi uma matéria publicada dizendo que ela deu piti e proibiu fotos de seu show que será realizado hoje em Florianópolis.
Eu acho que dar piti não vai adiantar nada. Sou contra toda essa perseguição, e acho que o que ela faz da vida dela, é problema única e exclusivo dela, e em nada influencia na minha vida. Acho ridículo ficar tirando foto dos hematomas em sua perna e publicar isso como se fosse algo extraordinário.
Mas por outro lado, pessoas públicas tem que ter a consciência de que qualquer coisa mínima que elas fizerem, sempre terá alguém pra tirar foto e postar em qualquer lugar. Ela mostrar os peitos na varanda do hotel é direito dela. Mas é óbvio que tiraram fotos e publicaram. Ela é pessoa pública, famosa no mundo inteiro. E isso não é privilégio da mídia brasileira. O mundo inteiro é assim. Aliás, os tablóides de seu país são os que mais avacalham com ela. E nem por isso ela ficou dando piti por aí.
Eu sou da opinião de que cada um faz o que quer da vida, desde que não prejudique ninguém. Mas a partir do momento em que você se torna uma pessoa pública, sua privacidade é afetada. É o preço que se paga pela fama. Cabe às pessoas a aprender a lidar com isso. E tentar se expor o mínimo possível quando quiserem um pouco de privacidade. E não ficar dando piti por aí e proibindo de tirar fotos de shows. Mesmo porque hoje em dia isso é algo praticamente impossível. Sempre vai ter alguém com um celular que tirará fotos.
Aliás, tá aí algo que eu nunca vou entender, proibir de tirar fotos de shows. Bom, cada um é cada um né...

terça-feira, janeiro 04, 2011

Olá!

Nossa, o ano novo já chegou e eu ainda não postei nada. Que marasmo. Mas também não aconteceu nada, passei a virada do ano em casa, não viajei.. E pra completar, não para de chover, o que aumenta o tédio. Mas nem vou reclamar, pois o clima está uma delícia! Tenho que aproveitar enquanto tá assim, pois sei que daqui a pouco o calor volta com tudo, e eu ainda não comprei meu condicionador de ar portátil. Eca! Um dia eu chego lá.
Enquanto a inspiração não vem, deixo aqui esse vídeo: Um gatinho brincando com o Ipad.