quinta-feira, dezembro 24, 2009

Feliz Natal!

Mais um ano está acabando. Pra mim, posso dizer que foi um ano meia boca por um lado. Não aconteceu nada que pudesse mudar minha vida radicalmente. Mas também não foi um ano ruim. Como havia dito há alguns posts atrás, me livrei dos mala-sem-alça! E também passeei bastante. Curti São Paulo com o pessoal, desde baladas, até museus, parques, dentre outras coisitas a mais. Conheci pessoas muito legais, tanto no orkut, como em blogs.
Minha casa está toda mobiliada, e melhor, tudo pago. Vou entrar o ano de 2010 sem dívidas, ufa! E estou com as malas prontas pra Aracaju, lugar praonde irei amanhã, pra retornar em Janeiro do ano que vem.
Aliás, tem alguém que quer ir comigo:



Dá uma pena deixar eles aqui, mas ficar presa em casa não dá. Ainda bem que tenho quem cuide! :D (Pior que eu morro de saudades.. hehehe)

Não sei se postarei mais esse ano. Talvez leve meu laptop, mas mesmo que eu leve, não terei tempo de sobra pra elaborar posts, então já deixo aqui um desejo de Feliz Natal e um ano maravilhoso pra todas as pessoas que me acompanharam aqui no blog durante esse ano! Que venha 2010!!

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Acho que agora vai...

Uma das coisas que eu nunca entendi direito, talvez por falta de conhecimento específico, confesso, foi a morosidade da nossa justiça. O que eu entendo menos ainda é o fato do Brasil assinar a Convenção de Haia sobre sequestro internacional de crianças, mas não cumprir.
Em julho deste ano, uma menina austríaca foi covardemente assassinada pela tia brasileira. A mãe fugiu da Áustria com os filhos sem a permissão do pai. De acordo com a convenção de Haia, as crianças deveriam ter voltado imediatamente à Áustria, para depois ser definido o destino delas. Mas não foi o que houve. Nossa justiça mais uma vez falhou, e falhou feio. A criança acabou morrendo espancada pela tia. E mesmo assim, o pai levou meses pra conseguir levar o corpo de volta ao seu país, para lhe dar um enterro digno - e o outro filho mais velho, que também tinha sido sequestrado pela mãe.

Mas, o caso do menino Sean Goldmann parece que o final vai ser mais feliz. Finalmente, depois de anos lutando para reaver o filho, sequestrado pela mãe ainda quando criança pequena, o pai terá o direito de finalmente tê-lo ao seu lado.
Algumas coisas nesse caso me deixaram de cabelo em pé. Primeiro com a morte precoce da mãe, o que já foi algo pra lá de bizarro. Depois, o padrasto, se achando no direito de substituir o verdadeiro pai, que estava vivo e queria sim a guarda de seu filho, simplesmente usou de sua influência para manipular a justiça. É um tal de apelação pra cá, recorre pra lá... E o tempo foi passando, e Sean, crescendo.
Como se não bastasse sacanear o pai a torto e a direito, devolvendo as cartas e presentes que ele mandava pro filho, a família materna ainda teve a cara de pau de convidá-lo para uma ceia natalina. Como se tivesse algum clima entre ele e a família da moça de participarem juntos de uma ceia de Natal!
E pra coroar com chave de ouro o caso, a avó de Sean num ato desesperado e patético, manda uma carta para Lula toda melodramática. Tudo bem, ela está no direito dela, mas o que me chamou atenção na tal carta foi a seguinte frase:
''Nossa formação valoriza papel da mãe. Na ausência da mãe, a criação incumbe a avó.''
Mas peraí.. Então quer dizer que pra ela, o pai não serve pra nada? Só como reprodutor?
A questão é: o garoto tem um pai, que tem todo direito de ficar com seu filho. Ponto. E se ele fosse tão mau pai assim como eles pintam, ele não teria lutado até agora para obter a guarda. Simplesmente deixaria pra lá e o filho que se ferre. Como infelizmente muitos pais fazem.
É de se admirar o egoísmo de certas pessoas. Eu vejo como um sentimento de posse. O neto é meu! Minha filha morreu, então agora o neto é MEU! E o pai, ah bem.. o pai é só um detalhe.
Eu espero de coração que esse garoto possa voltar para os Estados Unidos com seu pai, e que possam reconstruir os laços afetivos perdidos por causa de vaidade, e também por causa da morosidade da nossa justiça, que assina convenções, mas mesmo assim não as cumpre.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Cadê a decoração?

Ontem fui com o pessoal dar umas voltas pela Avenida Paulista pra ver a decoração natalina. Tinha ido ano passado e fiquei encantada com a qualidade da decoração, e imaginei que esse ano seria a mesma coisa.
Que decepção. Nunca imaginei que uma avenida importante que nem a Paulista pudesse ter uma decoração de natal tão mixuruca. O Banco Real, que sempre faz algo diferente tava tão feinho que nem dava pra reconhecer. Será que é efeito retardado da crise do ano passado? Ou o pessoal do Santander é tão pão duro, que não quis gastar nada em decoração esse ano?
Mas tudo bem, pelo menos revi o pessoal, e entreguei os souvenirs que trouxe de Foz do Iguaçu antes do Natal. Só por isso já valeu a pena. Mas espero que ano que vem a decoração seja melhor!

Mudando de assunto, mas continuando na mesma cidade: ano que vem já começaremos com uma ferrada legal! Depois de 3 anos sem aumentar a tarifa do ônibus, a prefeitura resolve enfiar com tudo ''somente'' 17% de aumento nas passagens. Isso só os ônibus, pois o metrô ainda vai aumentar mais, com certeza. Tudo bem, sei que o aumento é necessário, afinal tudo aumenta, desde a manutenção, salário dos funcionários, combustível e etc. Mas o que eu questiono é o motivo de ficar tanto tempo sem aumentar a tarifa, e de repente aumentar desse jeito. Não seria mais inteligente aumentar por ano em menor proporção? Afinal, não vejo vantagem nenhuma em ficar 3 anos sem aumento, e de repente ter que desenbolsar muito mais dinheiro de uma vez só. 40 centavos parece pouco pra quem quase não anda de transporte público, mas pra quem tem que pegar todos os dias no fim do mês pesa, e muito.

É... que venha 2010!

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Puxando a descarga!

Posso dizer que esse ano foi o ano da limpeza. Puxei a descarga e mandei pra vala um monte de pessoas que não acrescentavam nada na minha vida, muito pelo contrário, só tiravam.
Mas ainda faltavam algumas pessoas. Mais precisamente, um casal que nós ajudamos e muito, em vários aspectos, mas principalmente financeiros. Minha mãe sempre teve essa mania de 'adotar' pessoas nas quais ela se apega, e infelizmente nesse meio vieram pessoas psicopatas, aproveitadoras, sem-vergonha e falsas.
Quando eles estavam na merda, praticamente passando fome quem eles chamavam? Minha mãe. Quando houve um desbarrancamento na casa onde eles moravam, e por pouco eles não perderam tudo, de quem eles se lembravam? Da minha mãe, claro. Quando a filha estava doente precisando ir pro hospital, de quem eles lembravam? Nem preciso dizer. E quando a menina precisava de uniforme pro colégio, claro que corriam pra minha mãe.
E foram assim, anos de ajudas, e de coração, pois ela fazia porque simplesmente gostava deles.
Quando aconteceu aquele festival de desbarrancamentos em Blumenau ano passado, eles ficaram totalmente na merda. E minha mãe mais uma vez interveio, e trouxe eles pra Sorocaba para morar com meu avô. Uma casa enorme, de dois andares independentes, sem aluguel. A única coisa chata seria ter que aguentar os ataques de mau humor do meu avô, que não é uma das pessoas mais fáceis de lidar. Mas o que será que é pior, tentar entender uma pessoa idosa e suas manias, ou morar num favelão a beira do esgoto lá onde judas perdeu as meias, e ainda por cima ter que pagar aluguel?
Eis que hoje, o telefone começou a tocar insistentemente. Até que minha mãe atendeu, e veio a última descarga do ano.
O cara ligou aqui em casa, falou um monte de merda pra minha mãe, como se ela fosse culpada de eles não conseguirem emprego até agora, como se ela fosse culpada de nem tudo ter dado tão certo como deveria. E pior, num belo exemplo de inveja soltou a belíssima frase: ''vocês estão de boa aí, e a gente aqui se ferrando''. Se ferrando sem precisar pagar aluguel e morando numa casa boa, com escola perto, com SUS que funciona, dentre outras coisas a mais. E pra completar, decidiram que amanhã estarão voltando pra Blumenau. Fizeram tudo pelas costas. Nem se quer tentaram conversar. Nem um aviso, nada. E nem um agradecimento por tudo que já fizemos por eles. E sabe o que? Eu dei GRAÇAS A DEUS que eles estão indo embora. Esse é o último elo que faltava se quebrar. Acredito que Deus escreve certo por linhas tortas.
Eu espero sinceramente que eles esqueçam que a gente existe. Desejo que dê tudo certo, mas se por ventura eles ficarem na merda, que continuem sem lembrar da gente.
Sabe o que eu mais fico de cara com esse tipo de gente?
Tudo que nós fizemos por eles não valeu absolutamente nada. E sabe por que? A inveja cega. Esse tipo de gente não pode ver ninguém feliz que fica com raiva, e joga seu veneno pra cima, atingindo todo mundo. Por isso, puxei a descarga com força. Lugar de invejoso é na fossa. E se depender de mim, não saem mais de lá. Distância é a melhor coisa!
Que venha ano que vem! Com amigos de verdade. É isso o que importa, não é mesmo?

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Túnel do tempo

Depois de mais de um ano depois da mudança, finalmente arranjei espaço pra desencaixotar minhas fitas. Agora posso dizer que meu apartamento está todo mobiliado, e com um pouco de espaço sobrando, então, resolvi tirar as caixas fechadas lá, e guardar as fitinhas num lugar melhor, e mais acessível.
Achei muitas relíquias, e algumas tive que tirar fotos antes de guardar. Fiquei um tempão me divertindo com minhas anotações, às vezes eu colocava nome de uma música que tinha gravada, e com base nela eu tinha idéia das outras que tinham juntas. Algumas outras eu botava até a data em que gravei (!!!) como essa por exemplo:



Inclusive estou escutando essa fita agora. Voltando no tempo dos meus 18 anos. Gravei essa fita exatamente na última semana de 1994 (!!!), isto é, essa fita tem nada mais nada menos que quinze anos! E escutando ela agora não parece tanto tempo assim, pois queira ou não, são músicas que escuto até hoje, e às vezes até passam em rádio ainda.

Essa aqui é uma relíquia:





Eu lembro quando meu pai comprava caixas e mais caixas dessa fita vindas do Paraguai, e ficava aqui, a gente ia pegando e gravando até acabar e vir a próxima caixa..

Eram tempos divertidos, quando para conseguir uma música era necessário ficar horas na frente do rádio pra conseguir gravar, afinal, LPs eram caros, e poucas pessoas tinham acesso à toca-discos. Mesmo depois quando veio o CD, demorou um tempo até se popularizar. Eu mesma gravei fitas até pra meados de 2003, depois abandonei de vez, primeiro porque o meu toca-fitas pifou de vez, segundo que com a banda larga o negócio mudou de figura de vez. (VIVA!)

Mas em vez em quando gosto de voltar no tempo e escutar minhas fitas, mesmo porque, existem muitas músicas que ainda não consegui. Mas um dia eu chego lá!

terça-feira, dezembro 08, 2009

Novo tipo de transporte em Sampa

Carro? Helicóptero? Metrô? Busão? Trem?
Nananinaná! Nada disso! Para andar em Sampa em dias de chuva o ideal é com... Barquinho de isopor!



E olha que provavelmente nosso futuro vai ser isso mesmo. Andar de barco pela cidade nos dias de chuva. Daqui a pouco o governo inventa algum imposto equivalente ao IPVA pra quem possui barquinhos e botes, quer ver?

Photobucket

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Irracionalidade total

E tem gente que tem coragem de chamar os animais irracionais de...irracionais.. Como se explica essa selvageria?:



O time perde, e o povo simplesmente esquece que tem um cérebro dentro do crânio e faz de um campo de futebol um verdadeiro campo de guerra.

Pra mim nada justifica isso. Isso é coisa de bandido e ponto final. Não acredito que alguém em sã consciência promova tanta baixaria por causa de um time de futebol. É algo que foge totalmente da minha capacidade de compreensão!

Agora fica a pergunta no ar: Será que se o Brasil perder algum jogo durante a Copa do Mundo em 2014 vai ter esse quebra-quebra todo? Dá medo! Sinceramente, se eu pudesse ia lá pro interior do Suriname até acabar a Copa..

É fogo!

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Voltando de viagem

Cheguei! Cheguei ontem, às 9 da noite. Ainda estou podre de tanto andar e dormir pouco, mas posso dizer que faria tudo de novo, inclusive subir trocentos degrais da trilha que tive que fazer.

Enfim, começando do começo. Cheguei em Foz do Iguaçu à uma e pouca da tarde, e duas horas da tarde no hotel. O hotel em si era muito bom, aliás, eu recomendo! Quartos limpos, funcionários educados e prestativos, chuveiro uma delícia, ar condicionado maravilhoso, cama super confortável. Sem contar a localização que é ótima.

No dia seguinte, fomos no parque das cataratas. Nossa, que passeio maravilhoso! Toda aquela água, nada melhor, porque o calor estava pra matar. Aliás, eu havia esquecido que os mosquitos paranaenses são super receptivos com turistas. E a anta aqui esqueceu o repelente no hotel, então já viu a beleza... Minhas pernas estão esfoladas de tanta picada de borrachudo! Mas faria tudo de novo. Todos os passeios foram ótimos, o parque inteiro é lindo, e aquelas cataratas são impressionantes.







Depois de passar horas nesse lugar maravilhoso, fomos no Parque das Aves. Outro lugar lindíssimo, podemos caminhar entre as aves (não levei nenhum cocô na cabeça, milagrosamente). Dentre várias aves lindas, tive a oportunidade de ver vários tucanos bem de pertinho. Eles faziam até pose pra tirar foto:



Não entendo como uma ave tão simpática e linda como o tucano pode ser símbolo de partido político. Ela não merece isso, sinceramente!

O dia passou, voltei pro hotel com minhas pernas estourando de tanto andar e coçar por causa dos borrachudos. E no dia seguinte fomos conhecer a tão famosa Usina de Itaipu.



ó minha cara de boia hahaha!

Os vertedouros estavam abertos, o que deixa lá muito mais bonito do que já é! Pena que não tive tempo de fazer a visita técnica, mas quando voltar farei com certeza!

Depois de Itaipu, veio o programa de índio da viagem. Ir pro Paraguai. Bom, quando as pessoas me falavam que lá era feio, eu achava que era exagero, pois já fui em vários lugares que todo mundo falava que era horrível, e eu não achei tão horrível assim. Mas pelo amor. O que é aquela Ciudad Del Este. Aquilo não é feio, é horroroso! Como eu fui mais pra conhecer do que pra comprar fiquei lá boiando. Enfim, comprei um shampoo pra não dizer que não comprei nada, pois tudo que vende lá eu já tenho, e comprar por comprar pelo menos pra mim é estupidez. Bom, pelo menos posso dizer que conheço. Mas voltar lá, não pretendo não. Deus me livre!
Agora, uma coisa engraçada foi encontrar isso encostadinho na fronteira de Foz com o Paraguai:



Uma loja de malhas de Blumenau! hahahahaha!! Eu tive que tirar uma foto disso!

Bom, sobrevivemos ao Paraguai. Ufa!

Quanto à cidade de Foz do Iguaçu propriamente dita, achei uma cidade organizada. Aliás, é a primeira cidade que vejo que é realmente estruturada para receber não somente turistas brasileiros, mas também estrangeiros. Vi muitas placas em Português, Espanhol e Inglês, coisa rara de se ver no Brasil. Todos os pontos turísticos tem placas nos 3 idiomas também, e toda estrutura pra receber o turismo.
Outra coisa que me chamou atenção foi o fato de não haver engarrafamentos. Um lugar onde vem gente do mundo todo, cheio de ônibus por aí e não ter engarrafamentos é algo realmente curioso. E ótimo é claro!

Voltamos ontem no vôo das 2:40 da tarde. Infelizmente quando eu comprei o pacote não me toquei que chegaríamos em Guarulhos bem na hora do rush. E pra piorar, caiu um mega chuvão, nem preciso dizer que o trânsito tava uma delícia. Levamos 3 horas de Guarulhos até em casa.
Tudo bem que quando chove, o trânsito de São Paulo que já é uma bela meleca fica um melecão fenomenal. Mas o que eu não entendo é como me fazem um aeroporto internacional lá onde judas perdeu as meias, e não existe nenhum tipo de transporte sobre trilhos para lá! Se até na rodoviária do Tietê o metrô sai lá dentro. Qual o motivo de nunca pensarem em fazer algo pra lá? Isso é ridículo. Imaginem na época da Copa do Mundo, a beleza que vai ser, o triplo de passageiros chegando, sem trem, tudo no trânsito. Gente, isso é uma piada de mal gosto.
Só sei que pra Guarulhos nunca mais. Pago mais caro, mas prefiro ir pra Congonhas, pelo menos é perto de casa. Tem certas economias que não valem a pena. Pior que eu já fechei outro pacote pro fim do ano com saída de Guarulhos.. Buáááá!!!

Bom, a única certeza que eu tenho é que quero voltar a Foz. Eu amei aquele lugar... Mas antes, irei aguardar a próxima viagem, que vai ser no fim do ano: Aracaju.

Acho que escrevi demais né. Espero que vocês não durmam no meio do post.. :P

Bom fim de semana pra todos!