quinta-feira, abril 29, 2010

!!!

Esse mundo é minúsculo. E com a abrangência virtual ficou menor ainda. Hoje mesmo fiquei de cara em descobrir um caso de uma pessoa do Rio de Janeiro que havia adotado uma criança, e estaria cometendo agressões contra a menina.

O caso em si já é escabroso, e faz questionarmos como foi esse processo de adoção. Mas nem foi isso que me deixou estarrecida. Na verdade eu fiquei estarrecida ao descobrir sem querer que a mesma pessoa queria adotar um gato há tempos atrás, e por diversos motivos as protetoras haviam negado a adoção.

Sim! Isso mesmo. Ela não conseguiu adotar um gato. Mas conseguiu adotar uma criança. Não vou entrar no mérito de comparações entre as duas adoções, visto que ambas são totalmente diferentes, não somente em termos legais, mas também em termos afetivos. Deixarei esse assunto para um outro post.

No tópico em questão, a pessoa havia dito que tinha comprado uma persa, e que estava com um problema no olho. Detalhe: o tópico é de 2007. Infelizmente, a adoção de gatos foi negada, mas como dinheiro compra praticamente tudo...

Um depoimento no determinado tópico em que descobri essa coisa estranha me chamou atenção:

''Se for a pessoa que estou imaginando que seja, uma desequilibrada mental. Na época em que ela estava desejando adotar um gato,eu tinha resgatado uma ninhada de três gatos (em 2007). Vi uma mensagem dela sobre esse seu desejo,mas não me manifestei. Num belo dia ela ficou sabendo que eu estava com esses 3 gatos, já que eu tinha postado o caso deles, e, sem eu ter mantido contato algum com ela pra falar sobre uma possível adoção dos gatos, veio me atacando de uma forma enlouquecida. Fiquei boba com tamanho desequilíbrio. Parece que já tinham negado a ela a doação de gatos. Falou os maiores absurdos pra mim,sem eu ter ideia do porquê de tantas ofensas, já que em nenhum momento dialoguei com ela sobre adoção dos gatos por mim resgatados. Se for a mesma figura, doida toda vida.''

Este outro depoimento também fala sobre desequilíbrio emocional da pessoa em questão:

Alguns devem lembrar quando ela entrou nesta comunidade agredindo a mim e a um renomado oftalmologista do RJ.
Ao ver seu desespero em outro tópico fui solidária com sua dor e usei meu perfil pessoal para contactá-la e dar a referência do JP, que segundo muita gente é o melhor do Rio de Janeiro em oftalmologia veterinária e já levei minha gatinha para ele tratar. Ele disse não haver necessidade de operar e passou medicação, que ela misturou com a do médico anterior , que queria fazer cirurgia. Fez uma salada mista no olho da gata , que estava com sintomas de rinotraqueíte e colocou a culpa no coitado quando o anterior disse que não podia operar. Atacou a mim e a ele aqui . Isso daria um bom processo contra ela , já que claramente falava da mistureba que fez e ainda o culpou pelos sintomas de rinotraqueíte . Eu tive que entrar em contato com a dona desta comunidade e pedir que apagasse as ofensas dirigidas a um profissional competente .
Alí não era necessário ser profissional da área de saúde mental para perceber sua problemática. Hoje no noticiário ouvi dizer que antes da adoção ela havia passado por avaliação psicológica . Estou decepcionada com a falta da capacidade de alguns colegas meus de profissão em detectar desvios e liberar uma adoção a alguém que precisa de ajuda médico-psicológica. Ela tinha uma gatinha, certo ? Os jornais mostram janela sem telas de proteção. Que criador ou protetor liberaria uma gatinha para alguém que não tem telas ? Tá tudo errado. Basta ser procuradora aposentada para conseguir qualquer coisa, incluindo vidas ? Se eu tentar adotar uma criança passarei um sufoco , mas uma procuradora aposentada pode se divertir com vidas, descontando nelas suas frustrações.
Estou muito preocupada com a menininha , que aos 2 aninhos de idade já foi abandonada pelos pais biológicos e torturada por uma desequilibrada

Agora o que eu questiono é: COMO essa pessoa conseguiu adotar uma criança? Que avaliação psicológica é essa? Não acredito que ninguém enxergou traços de personalidade incompatíveis com a adoção. Pelo visto, as protetoras de gatos tem mais feeling que alguns profissionais que trabalham na área de adoções de crianças. Isso é triste. Fico imaginando a cabeça dessa menina, 2 anos e já passou por tanto sofrimento..

Aliás, feeling é o que falta pra muita gente que lida com crianças. Vide o caso escabroso de Ribeirão Pires, onde dois garotos foram esquartejados pelo pai e a madrasta. A conselheira tutelar simplesmente achou que eles estavam inventando. Ui!

É.. tem coisas que me faz perder a fé na humanidade...

segunda-feira, abril 26, 2010

A saga dos navegadores

Sou do tempo que o Netscape era o melhor navegador que existia na internet. Foi o primeiro navegador que usei, lá pra meados de 1996. Até que a partir do Windows 98, o Internet Explorer passou a ser lançado junto com o Sistema Operacional, fazendo com que muita gente se acomodasse e parasse de fazer download do Netscape. Isso fez com que ele fosse perdendo a fatia no mercado, infelizmente.
Usei o Iexplorer por um bom tempo, por comodidade confesso, mas nunca fui muito com a cara dele. Até que um belo dia peguei um malware chamado ''My Search Now''. Nem sei como foi acontecer isso, pois nunca fui de entrar em sites suspeitos, só sei que aquilo foi o inferno na minha vida virtual. Deixou meu PC extremamente lerdo, e o Iexplorer então, parecia uma lesma com cãimbra de tão lerdo. Até que um amigo meu me falou do Firefox. Até tinha ouvido falar dele, mas nunca tinha me interessado. E foi a melhor coisa que fiz. Baixei dito cujo e era só alegria. Super rápido, mais seguro, enfim, o navegador dos meus sonhos. E assim foi por 7 anos.
Infelizmente 'the dream is over'. Cada versão nova que eles lançam piora. Muitos dos sites que eu costumo entrar com frequência foram ficando lentos, isso quando simplesmente não fechava do nada. E pra piorar, de repente travava e ficava o HD dando ataque epilético que nem um louco, e eu ficava de braços cruzados olhando pro computador sem poder fazer nada. Aquilo foi me irritando tanto, que resolvi baixar o Google Chrome pra ver qual era a dele.
O que eu achei do Chrome? Achei um navegador legal. Mas sei lá, não cheguei a me apaixonar por ele do jeito que eu me apaixonei pelo Firefox na primeira vez que o instalei - romântico isso né? - hehe!
Fiquei um tempo alternando sites mais pesados com o Chrome, e os mais leves com o Firefox, mas não era o que eu queria. Voltar a usar o IExplorer estava totalmente fora de cogitação.
Ontem a noite, ao tentar entrar no Facebook, só dava página branca. Tentei várias vezes achando que era problema no site, e desisti. Mais de noite, resolvi tirar a prova no Chrome. E estava carregando normalmente. Aquilo já foi me dando nos nervos. Mas como já era tarde e precisava dormir, desliguei tudo e deixei pra lá.
Eis que hoje, veio a goda d'água. Resolvi limpar os arquivos temporários, como sempre faço uma vez por mês. Depois disso fui entrar no Orkut, e simplesmente a página das comunidades estava toda bagunçada. ''An error ocurred'' acusava a mensagem. Só pra tirar a prova, abri o Chrome e adivinhem? Sim, o Orkut estava carregando normalmente! Pra completar o 'tira-teima', abri o Iexplorer, e a mesma coisa. Orkut normal!
Aí, enquanto xingava todos os palavrões existentes na face da terra, lembrei do Safari. Também só tinha ouvido falar por cima, mas resolvi testar.
Sinceramente? Adorei! Exatamente como um navegador deve ser. Ágil, leve, e sem frescalhadas. Pretendo usá-lo a partir de agora. Inclusive é com ele que estou escrevendo esse post.
Vamos até quando o 'romance' dura...

domingo, abril 25, 2010

Sem idéias...

Hoje acordei com vontade de escutar The Prodigy. Fazia tempo que não escutava as músicas dessa banda, e hoje me bateu aquela saudade.

Sendo assim, meu domingão foi bem boiante ao som de.. Prodigy!



Boa semana a todos! Em breve voltarei com a programação normal deste blog :D

terça-feira, abril 20, 2010

Islândia

Sempre tive fascínio pela Islândia. Enquanto muitas pessoas perguntavam ''Is... o q?'', eu vasculhava a internet atrás de informações sobre lá. Cheguei a escutar algumas rádios islandesas há um tempo atrás, e tinha uma coletânea de sites, com informações sobre o país. Infelizmente perdi muitos com panes em computador, mas a internet continua aí firme e forte, o que faz com que eu vira volta pesquise mais sobre o país e o idioma.
Sim, eu tenho vontade de aprender islandês. Louca eu? É, meio doido, pois a maioria gosta de aprender francês, italiano, alemão, e até o mandarim enfim, idiomas considerados mais úteis. Mas eu acho islandês um barato! O problema é que aprender iesse idioma sozinha é algo totalmente longe da minha capacidade mental, e como no Brasil não existe curso.. O jeito é sonhar em um dia ir pra lá (quem sabe?).

E como o país não é um dos mais prestigiados da Europa, só aparece na mídia em alguns poucos motivos. Quando a cantora Björk aparece com algo novo, durante a crise financeira ano passado e.. quando um dos seus vários vulcões entram em erupção.

E de repente todo mundo ficou curioso como se pronuncia o nome do tal vulcão que simplesmente parou a Europa: Eyjafjallajökull. E olhe que legal, aqui você vê exatamente como se pronuncia: êia-fiétlar-iogut. Viu? Facin facin!

Simpático ele né?

E por ironia do destino, um país que quase não se ouve falar, consegue parar a Europa inteira.. Não é interessante?

Não tem jeito, a natureza quando resolve avacalhar com nós, seres ditos evoluídos, não tem pra ninguém!

terça-feira, abril 13, 2010

Del Anno, um exemplo de atendimento ao consumidor.

Nesse post aqui, havia falado sobre meu móvel de TV que havia quebrado depois de 3 meses de montado. Cheguei até a questionar se iria ser tão bem atendida pela Dell Anno como fui quando efetuei a compra. E tenho que admitir, dessa vez caí do cavalo.
Na véspera da minha viagem, ligaram agendando pra hoje, terça feira, para efetuar o reparo. E pontualmente, às 10 da manhã chegaram aqui, com uma peça novinha em folha. Não inventaram nenhum empecilho, e nenhuma desculpa esfarrapada - como muitas empresas costumam fazer- para fugir da responsabilidade.
Desmontaram a parte onde havia quebrado, tiraram a peça com defeito e substituíram pela nova. E de quebra perguntaram se estava tudo bem com os outros móveis, e se eu queria que eles verificassem.
Isso sim é atender bem o consumidor, e mais, é conquistar o consumidor. Pois com certeza se alguém me pedir alguma indicação de móveis, indicarei a Dell Anno sem pestanejar.
Muitas empresas brasileiras tem que aprender como se conquista o cliente. É bom saber que existem algumas que aprenderam. E põem em prática.

domingo, abril 11, 2010

De volta ao lar, doce lar!

Cheguei! Depois de uns dias em Blumenau, já estava morrendo de saudades das minhas coisas. Mas posso dizer que a viagem foi legal. Revi minhas amigas queridas, andei pra cima e pra baixo. E fiquei de cara ao descobrir que uma casa que eu cresci passando em frente desabou quando deu aquele desbarrancamento todo em 2008.
Mas o mais curioso foi acompanhar minha mãe no ortopedista, e ao ir no banheiro da clínica, dar de cara com essa pia curiosa:



Imaginem só minha cara de paisagem ao me deparar com essa pia sem buraco. Nunca tinha visto isso na minha vida, e obviamente tive que tirar uma foto, pois vai ficar pra posteridade.

O tempo passou, visitei o pessoal, mas estava louca pra voltar pra casa. E consegui matar minha vontade de pegar um ônibus! Sim, adoro viajar de ônibus - com um certo limite de distância, claro. Vim dormindo que nem um anjinho, cheguei na rodoviária, passei no supermercado pra comprar alguns frios e uma lasanha de microondas, pois a última coisa que eu queria era ter que cozinhar..

Cheguei em casa, agarrei meus filhinhos peludos, larguei as malas e abri a geladeira pra guardar as coisas que comprei, eis que me deparo com tudo quente... Pelo estado das coisas lá dentro, estava pifada há pelo menos mais de 24 horas. Conclusão: liga pro amigo de novo, corre no supermercado de novo pra comprar um isopor e gelo pra pelo menos tentar salvar o que restou, pois metade das carnes já estavam estragando. A sorte é que consegui colocar alguma coisa no congelador da geladeira do condomínio, e por fim consegui o frigobar do meu tio emprestado pra pelo menos não ter que ficar abrindo a caixa de isopor toda hora.

Por ironia do destino havia escrito um post há poucos dias atrás falando exatamente sobre isso: como as coisas atuais duram pouco. Eu, sinceramente, me arrependi de ter doado minha geladeira velha de Blumenau. Ela funcionava perfeitamente há anos, deveria ter ficado com ela.. Era feia, mas era ótima. Agora, uma geladeira de um ano e meio pifar desse jeito sem nenhum motivo aparente é SODA! Muitos alegam queda de energia, mas dos 33 anos que morei em Blumenau, tive somente duas geladeiras. Uma de 1975, que foi presente de casamento dos meus pais, e funciona até hoje, e a outra de 1988, que tínhamos até nos mudar, e também funciona até hoje! E olha que Blumenau bastava um passarinho pousar no poste pra acabar a luz. Não tem jeito, tudo hoje em dia é vagabundo mesmo. Agora o jeito é correr atrás da assistência e rezar pra não sair um preço exorbitante. Tenho vontade de pedir a geladeira de 1975 de volta... hehehehehe!

Bom, apesar de tudo, estou feliz de estar em casa. Espero que a urucubaca vá embora! Xô!

domingo, abril 04, 2010

Feliz Páscoa!




Olá amigos leitores,

Estarei viajando para minha ex-cidade amanhã, e se tudo der certo estarei retornando sexta-feira.
Visitarei todos vocês quando voltar. Aproveito pra desejar uma feliz Páscoa. ;)

Até!