sábado, novembro 26, 2011

Viagem de aniversário - Parte 2 - Paraty e Trindade.

Depois da via-sacra para chegar em Paraty e achar a pousada, finalmente conseguimos! Chegamos lá às 2 e pouca da tarde, podres de cansados e loucos por um banho e por descansar.

Ficamos na Pousada Tropical. É um lugar super aconchegante, atendimento ótimo e quartos confortáveis. E o melhor, é a 5 minutos a pé do centro histórico. Quer coisa melhor?
Enfim, pegamos a chave, subimos pro quarto. O tempo passou e aí lembramos de que não tínhamos almoçado. Isso já era quase 4 horas da tarde. Nos arrumamos e fomos caminhar pelo centro histórico, e procurar algo para comer. Como a gente estava meio perdido, resolvemos ir de carro, pois ainda não conhecíamos nada. Até que achamos uma vaga pra estacionar facilmente.

Uma coisa que me chamou a atenção em Paraty: o povo estaciona seus carros de qualquer jeito, o que dificulta a gente saber se a rua é ou não contra-mão. É muito bizarro isso! A gente vê carro estacionado nos dois lados um de frente pro outro. Não me lembro de ter visto isso em outra cidade...

O centro histórico realmente é uma gracinha. Ainda bem que fui de tênis, pois andar naquelas pedras de chinelo ia ser uma desgraça pra mim. Ainda mais do estado que eu tava.




Gatinha simpática :D






Depois de andarmos e tirarmos umas fotos, achamos um restaurante e sentamos pra comer. Já estávamos roxos de fome, afinal, a última refeição tinha sido às 15 pras 10 da manhã lá em Cunha.

Pedimos uma Paeja, muito deliciosa por sinal! E ficamos lá de frente pro mar boiando. Afinal, depois de uma viagem pra lá de estressante, a gente mereceu comer de frente pro mar né?

Ê vida boa!

Ficamos o dia inteiro boiando, passeando por ali. Como Murphy ainda estava de mal comigo por eu tê-lo xingado de fdp, a noite chuviscou. Uma delícia! Mas apesar de tudo, deu pra curtir o dia. Fomos dormir antes da meia-noite, pois estávamos apodrecidos.. Dormimos esperando um domingo ensolarado.

E não é que eu ganhei um lindo presentão de aniversário! Domingo o dia estava lindo! Aproveitamos para voltarmos ao Pier e tirar fotos com aquele céu azulão!



Cavalinhos... O Vander tentou falar com eles mas eles nem deram bola hahahaha!!!

Dia maravilhoso.. Pena que não deu pra tomar banho de mar... :(





Uma pena que não deu para fazermos o passeio de escuna. Mas com certeza quero voltar lá só pra isso. Andamos mais um pouco por ali, e voltamos à pousada para fecharmos a diária e pegar estrada. Como o dia estava lindo, resolvemos passar por Trindade para pelo menos conhecer, já que estávamos com tempo de sobra, e também precisávamos achar algum lugar pra almoçar.

Foto pra lá de boiante...

Paramos em um restaurante para almoçar. Caramba, que peixe delicioso! Fazia muito tempo que eu não comia um peixe tão fresco! Comemos pra caramba, quase explodimos!

Gatinho (ou gatinha) deitado nos fundos do restaurante. Com certeza ganha muito peixe.. rs

Passado o almoço, chegou a hora de pegar estrada. E lá vamos nós rumo a São Paulo... Apesar de tudo, posso dizer que meu fim de semana foi fantástico. Não posso reclamar de nada, pois até as tosqueiras serviram para a gente rir depois. Afinal, a vida não teria graça se tudo desse sempre 100% certo né? E ano que vem quero fazer outra viagem de aniversário. É uma comemoração digna.

Agora, deixo aqui a dica preciosa: Caso vocês queiram ir para Paraty saindo de São Paulo, ou de qualquer lugar abaixo daqui não utilizem essa bendita estrada Cunha - Paraty. Ah, e ao contrário de Ilhabela, lá em Paraty eles aceitam Visa.

segunda-feira, novembro 21, 2011

Viagem de aniversário - Parte 1 - No meio do caminho tinha um matagal.

Há tempos estávamos planejando conhecer Paraty. Aí veio a idéia de passar o fim de semana do meu aniversário lá. Não estava muito empolgada pra fazer festa, então eu e o Vander decidimos: vamos para Paraty comemorar meu niver. Ótimo! Pousada reservada, rota traçada, e era só esperar. Consultamos o senhor Google Maps, e pegamos a rota mais curta, como sempre fizemos em todas as viagens que planejamos. Sempre tinha dado certo, mas me esqueci que sempre antes do meu aniversário acontece algum pepino. Mas enfim, finalmente chegou o grande dia: 18 de novembro. Imprimi o mapa, e pé na estrada.

O caminho mais curto sugerido pelo google foi pela cidade de Cunha. Até chegarmos lá estava indo tudo bem. Depois que passamos por Cunha, a estrada começou a ficar uma porcaria. Mas pelo menos tinha asfalto. Eis que chegamos na divisa de Estados.



Que maravilha! Só que eu não sabia que no meio do caminho tinha um matagal. Sim, entramos literalmente no meio do mato. Um breu desgraçado, sem sinal de celular, e com crateras dignas de deixar a lua com inveja. E nós com nosso pobre Honda Civic nunca que íamos conseguir passar ali. Conclusão óbvia: tivemos que voltar pra Cunha. Voltamos aquilo tudo naquela estrada horrenda... E claro que quando chegamos na cidade, não tinha uma alma viva na rua. Já estava quase batendo o desespero quando eu vejo uma viatura. Ah, mas que maravilha! Paramos e fomos lá perguntar pros policiais se eles sabiam de alguma pousada que tivesse vaga pra gente passar a noite. Por fim eles nos levaram lá. Na pousada Clima da Serra. Eram chalés pra lá de charmosos, muito legal! Adorei lá. E achei Cunha uma cidade bem simpática, tá aí outra cidade pra lista de viagens no ano que vem!

Finalmente chegamos lá e dormimos. Estávamos podres, e depois do matão boiante lá, acabou de apodrecer mais ainda. Dormimos até umas 9:30, tomamos café, e perguntamos qual que era o melhor caminho pra chegar em Paraty. Acabamos indo por Ubatuba. Teríamos que passar por São Luiz do Paraitinga, mas infelizmente não chegamos a entrar na cidade propriamente dita. Passamos pela área rural somente. Depois de muitas vacas, cachorros e alguns seres humanos perdidos, chegamos no Parque Estadual da Serra do Mar. Nunca tinha descido essa serra. E foi muito massa! Com direito a ficar tonta com tanta curva, e de passar por dentro de uma nuvem. Divertidíssimo.

Finalmente chegamos em Paraty! Nossa, parecia que finalmente tudo ia começar a se desenrolar, mas nosso amigão GPS deu uma última zuada com a gente: nos mandou passar por uma estrada que estava em obras (e claro que a gente não sabia né! poin!). Depois do sufoco, entramos na cidade, rodamos que nem duas baratas tontas e.. achamos a pousada!!! Isso já era 2 horas da tarde, e o planejado era para a gente chegar às 2 da manhã! E o tempo estava nublado! Mas eu adorei o dia estar nublado, porque eu ia ficar muiti p.. da vida se chegasse lá com um solão e não poder aproveitar os passeios. Acho que isso serviu de consolo...

Depois da via sacra, descansamos um pouco na pousada, e saímos pra conhecer o centro histórico. Essa parte contarei em breve, se não o post vai ficar kilométrico...

Aguardem cenas do próximo capítulo!

PS: O matagal em questão era o Parque Nacional da Serra da Bocaina. O lugar parece ser lindo, mas não pra passar às 2 da manhã... hehehehehehehe

quinta-feira, novembro 03, 2011

Lula, o câncer e o SUS.

Lula está com câncer. Podemos dizer que esta doença é realmente democrática: ataca a todos, independente de ser rico, pobre, famoso ou qualquer zé mané da esquina. Longe de mim comemorar isso. Não sou fã de Lula, não votei nele e nem pretendo fazer isso algum dia. Como político não gosto dele. Mas o respeito como ser humano, e torço para que ele consiga se curar.

O fato de eu o respeitar como ser humano e desejar que ele se cure não anula minha opinião de décadas: não somente Lula, mas todos os políticos deveriam se tratar pelo SUS. No Facebook as pessoas começaram a postar uma foto do ex-presidente com os dizeres ''Lula, faça seu tratamento pelo SUS''. Eu entendi isso como um protesto pela melhoria da saúde pública, não como um desejo de que ele sofra. Vale lembrar que o ex-presidente é uma pessoa pública, e está sujeito a tudo isso independente de sua condição. Bastou pra chegar um monte de gente bradando aos quatro ventos que o SUS é uma maravilha, que já precisou e foi bem atendido, e bla bla bla.

Sim, o SUS tem o seu lado bom. Minha mãe já foi atendida pelo SUS em Sorocaba, e não posso reclamar, o atendimento foi exelente. Assim como várias pessoas que conheço já se trataram pelo SUS e foi ótimo. Temos aqui em São Paulo o Hospital das Clínicas que é um exemplo a ser seguido. Atendimento de ponta, tudo pelo Sistema Único de Saúde.

A questão não é essa. A questão é: o lado bom do SUS é exceção, infelizmente. E deveria ser ao contrário. Afinal, nossa Constituição Federal é clara: 'Saúde é um direito do cidadão e um dever do Estado'. Basta lermos as notícias que temos casos escabrosos praticamente todos os dias por falha no atendimento. São mães que perdem seus filhos por falta de atendimento. Médicos escrevendo no braço de gestantes o endereço de outro hospital porque aquele simplesmente não tem as mínimas condições de trabalhar. Pessoas acidentadas que fazem peregrinação por vários hospitais públicos e não conseguem atendimento. Há meses uma moça ficou uma semana peregrinando por hospitais públicos daqui de São Paulo reclamando de muita dor. Acabou morrendo de trombose. Esses são os casos que aparecem na mídia. Fora os muitos outros que ocorrem nesse Brasil que não ficamos sabendo. Sobra a dor das famílias, que além de perder um ente querido, convive com a falência do nosso sistema público de saúde.

Ah, mas o tratamento do SUS para câncer é de primeiro mundo. Ótimo, acredito que em um Hospital das Clínicas da vida seja. Mas acho que essa foto aqui é auto-explicativa. Não é preciso divagar sobre ela:



Então: cadê o povo que defende o SUS fervorosamente? Temos que reconhecer como funciona, mas temos que reconhecer também que não é o suficiente. E para os políticos é muito mais fácil deixar nossa saúde pública como está e qualquer dor de barriga, correr pro Einstein. Afinal de contas, se eles não precisam, o povo que se ferre. Então, que usem o SUS. Quem sabe assim a coisa não começa a melhorar, afinal, seria o deles que estaria na reta?