terça-feira, setembro 07, 2004

O mundo está perdido, ou sempre esteve?

Sinceramente, cada dia que passa, me desanima de abrir o jornal. Só tem desgraça atrás de desgraça. Esse atentado na Rússia semana passada realmente me fez parar pra pensar. O que leva pessoas invadirem uma escola e matarem crianças, atirando pelas costas? Realmente é algo que não tem como aceitar nem entender.
Diante tal fato horroroso, dentre outros que aconteceram atualmente, começando pelo 11 de setembro nos Estados Unidos, passando pela guerra sem escrúpulos no Iraque, e pela Espanha, e claro, a eterna guerra entre Palestina e Israel, é normal as pessoas sempre comentar a respeito de que esse mundo está perdido. Mas se for analisar, acredito que o mundo sempre esteve perdido. Terrorismo e guerra não existe de hoje. Infelizmente existe desde que o mundo é mundo. Mas com uma diferença. Antes, não existia toda a informação que temos hoje. No máximo jornais televisivos, e os tradicionais jornais de papel, mas sem a abundância de informações de hoje em dia. Acredito que isso nos faz pensar que o mundo de antigamente era mais seguro. E não era. Quantas atrocidades já aconteceram, muitas que provavelmente nunca vamos saber na época da União Soviética por exemplo?
O ser humano é podre. Sempre irão existir pessoas dispostas a matar e morrer. Pessoas que não têm nada a perder, e são dessas que a gente tem que sentir medo. Fanáticos árabes inventam motivos fúteis pra matar, como por exemplo, exigir que a França desconsidere a lei que proíbe o uso do véu em escolas públicas. Os governantes dos Estados Unidos então, acho que dispensa qualquer comentário, atacam países, inventam mil mentiras pra atacar, matam civis inocentes a torto e a direito, e não querem nem saber.
"Ah, o Brasil é um paraíso, não tem nada disso". Tem certeza? E o que acontece com o Rio de Janeiro? Guerra entre traficantes e Policiais, matam cada vez mais inocentes. Pessoas que por falta de oportunidades melhores, são obrigadas a morar em favelas, e ter suas vidas em risco diariamente. Em São Paulo, a violência urbana cresce a cada dia. Sequestro é algo bem comum (e a Argentina está querendo copiar isso de nós Brasileiros, olhe só). No Pará, qualquer coisa é motivo de assassinato. Isso fora o que acontece no interior de muitos estados por aí, e nem ficamos sabendo.
Agora o MST resolve doutrinar suas crianças para serem revolucionárias. De acordo com eles, o dia 7 de setembro é o dia dos excluídos (!!), e deve ser comemorado a data de nascimento de Marx, Revolução da Nicarágua, Revolução Chinesa e Morte de Che Guevara (!!!). Isso sem contar as cantigas ensinadas: ".. Que chore o latifundiário para sorrir os filhos de quem colhe o pão/ E a luta pela reforma agrária a gente até pára/ Se tiver, enfin, coragem a burguesia agrária/ De ensinar seus filhos a comer capim (!!!!!!).. Tá bom. Eu só espero que eu esteja bem longe daqui quando essas crianças estiverem adultas e começarem a fazer "revolução" no Brasil.
Realmente, o mundo sempre esteve perdido. E conforme a população cresce, as diferenças aparecem mais e mais.. Acho que a única solução seria um apocalipse mesmo. Acabar tudo, e começar do zero. Porque do jeito que está a situação mundial hoje em dia, não tem mais concerto...

See Ya!!


Yö -Särkyvää


Nenhum comentário: