segunda-feira, julho 27, 2009

Pimenta no fiofó do outro é refresco.

O ser humano é conhecido pela sua capacidade de adaptação perante aos problemas que aparecem. Talvez seja por essa vantagem que sobrevivemos até hoje (e ajudamos a ferrar com o Planeta Terra, mas isso é assunto pra outro post).

Numa cidade do tamanho de São Paulo, infelizmente o transporte público deixa a desejar. Dependendo da região em que a pessoa mora, pegar 3, ou até mesmo 4 conduções por dia para ir ao trabalho, torna-se um fardo. Quem mora perto de estações de metrô, ainda tem uma mobilidade maior, mas dependendo do local de trabalho, muitas vezes de difícil acesso por transporte público, também pasta. Infelizmente, todos esses anos que se passaram, o transporte indidividual foi priorizado, fazendo com que a cidade praticamente parasse em horário de pico. Foi aí que entrou a capacidade de adaptação de alguns seres humanos inteligentes, que resolveram optar por um tipo de transporte de certa forma coletivo e confortável: o fretado. Afinal, mil vezes melhor pagar uma quantia mensal, pegar um ônibus confortável, que tem capacidade para 40 pessoas aproximadamente, e parar perto do local de trabalho não é? Além do que, quanto mais gente utilizando fretados, menos carros nas ruas.

Tava tudo muito bom, tudo muito bem, eis que a prefeitura acabou com a alegria deles. Agora, fretado não pode entrar em determinada área da cidade, justamente onde fica a maior parte dos postos de trabalho. Eles só podem chegar até estações de metrô - já lotadas, e terminais de ônibus, igualmente lotados ao extremo. Aí, acontecem aberrações como fretados parando em frente de garagens de prédio, atrapalhando a vida de muita gente, além da óbvia super lotação do já saturado transporte público. Mas o pior está por vir. É claro que a maioria dessas pessoas não vão pegar transporte público. Elas vão de que? CARRO! É claro! Saem os fretados, que carregam 40 pessoas, e entram aproximadamente 40 carros a mais nas ruas.

Não seria mais fácil disponibilizarem de pontos de ônibus exclusivos para fretados dentro da tal área que foi restrita? Nããããoo!! Pra prefeitura é melhor proibir de vez. Claro que os digníssimos políticos não andam de transporte público. Aliás, nem de carro eles andam, andam é de helicóptero. Então, pra eles é super fácil restringir qualquer tentativa de trabalhadores chegarem nos seus trabalhos na hora, já que ''não é o meu que tá na reta''.

É vergonhoso isso!!

3 comentários:

Isaac Melo disse...

Denise,
estive em São Paulo recentemente e para mim esta é uma cidade que me assusta. Admiro muito vocês que moram ai, pois eu não sei se conseguiria. Um dos motivos é a dimensão. É grande demais esse 'trem'...
Deve ser desafiante, não!?
Um abraço!

Mauro S disse...

Como sempre foi, político não presta, por isto odeio política, sempre estoura no povo, que se dane gente como nós por tudo... quer dizer que gostou do assunto, Os Anos 80... realmente foram anos inesquecíveis, de músicas maravilhosas e marcantes, mas o que é bom já passou, apesar que acredito que anos melhores virão, ou terão que vir.
Um super beijo e ótima semana, valeu pelo comentário, Mauro

Srta.Lua disse...

vc quiz dizer pimenta no nosso fiofó né?kkkkk

Mas é isso mesmo só prestam pra complicar a vida da gente...

logo gogo eles criam um imposto de Cafageste aí acaba de F**der a vida da gente mais ainda...