quarta-feira, abril 15, 2009

A sacanagem por trás da fidelidade.

Há uns anos atrás, quando assinávamos um contrato de prestação de serviços, principalmente com empresas de telefonia e banda larga, tínhamos que cumprir um ano de fidelidade, isto é, ficávamos presos a essas operadoras por um ano, sujeitos à multa, caso quiséssemos cancelar a assinatura antes disso. Eu sempre achei isso uma baita sacanagem, mas agora a sacanagem aumentou. A maioria dos contratos agora são de fidelidade de 18 meses! Ou seja, antes estávamos ferrados por um ano, agora estaremos ferrados por um ano e meio!

Isso é uma estratégia estilo jogo baixo para prender clientes, ainda mais agora com a portabilidade numérica. Aliás, gostaria de ouvir argumentos a favor da fidelidade, pois agora só vejo a corda arrebentar pro lado mais fraco: o do consumidor. Mesmo porque, essas operadoras são mestres em propaganda enganosa. As propagandas de operadoras que oferecem o serviço 3G, na minha opinião deviam ser proibidas, por serem extremamente enganosas ao cubo. Nelas, vemos as pessoas lindas e sorridentes, até no meio do mato, plugando seus modens 3G, e instantaneamente ... plin! Aparece a linda imagem no navegador. E na realidade, matamos saudades da época de discado, só faltando ter que usar uma manivela. Aí o cara vai lá maravilhado, assina.. E toma no fiofó. Além do serviço de bosta, ainda tem que ficar preso por um ano e meio. Isso é ou não um jogo sujo?

Mas voltando ao assunto dos argumentos a favor da fidelidade. No caso dos celulares por exemplo, muitos argumentam que o preço do celular de conta é subsidiado. Tá, aí é justo. Agora, eu tenho o meu aparelho, desbloqueado. Se eu quiser comprar um chip de conta, terei a maldita fidelidade também. Então, o argumento já cai por terra, pelo menos pra mim. Qual é a desculpa? Subsidiar o chip? Então que tire a fidelidade no caso de quem já tenha o aparelho. Mas não, eles não querem perder o cliente. Só que em vez de oferecer um serviço decente, preferem oferecer um serviço porco, e prendê-lo. Onde existe coerência nisso?

E operadoras de telefonia fixa, TV a cabo e banda larga? Aonde se encaixa a fidelidade aí? O modem, no caso da NET é consignado. Se eu cancelar, eles tomam ele de volta. No caso de adsl depende da região, lá no sul, pela Brasil Telecom, eu tive que comprar. Os telefones, nós compramos independentemente da operadora. Eu tento achar algum argumento a favor, mas só consigo pensar que fidelidade só serve pra fazer o cliente de palhaço. Será que alguém consegue me convencer ao contrário?

Fica a pergunta no ar..

5 comentários:

Julis disse...

Sabe pq essas coisas aqui acontecem?
Pq não há uma lei que pune essa palhaçada toda... Quer mais do que as prezepadas da telefônica?

Cidinha disse...

"telefônia" deveria ser considerado como palavrão... acho que não é só eu que detesto essa merda dessa companhia.

Laura disse...

É triste isso e acho que não existem argumentos a favor, só contra mesmo... Além disso, os serviços são péssimos aqui no Brasil, a internet, então, nem se fala.. Paga caro por uma porcaria! =\

Ivanhoé disse...

Já pensou se isso também valesse para contrato nupciai? Quebrou a fidelidade? Multa!!!

De resto, tudo bem contigo?:

Bêjoss!!

Mauro S disse...

Tenho um modem 3G da Calaro, e fidelidade de um ano... quer saber, uma merda!
Na praia, nem em janeiro e fevereiro, meses cheios, nem em abril, pouca gente, funcionou, mas na cidade, tranquila, mas comprei com um fim, usar a internet na praia, mas tive decepcões.
Escrevi assim mas sabes qual a empresa.
Pra mim fidelidade deveria existir nos dois sentidos, um ano para ficar preso a empresa e um ano para eles fornecerem o serviço que a gente contratou, comprou, mas não é assim.
Um funcionário da BR T disse que colocou 1 MB de internet em sua casa, mas colegas dele disseram que NUNCA aquele 1MB contratado chegará a casa dele, e eu estou nesta, tenho 1MB, num contrato recente que fiz com eles.
Se eu não posso me desvincular da empresa pelo período de um ano devido a tal fidelidade, eles devem me fornecer na minha casa 1MB, questão de lógica ou anula-se qualquer contrato, não estou certo? Pois por que só eles terão que levar vantagem, e nós no rabo?
Desculpe os termos!
Outra coisa, perdi meu pai em set de 2008, mas para colocar a internet no telefone da casa a morte do titular não tinha problema, bastou dizer que meu pai estava morto, e eles aceitaram na boa, em seguida começaram a cobrar o que não combinei com eles, disse que queria sair, bem, mudou de figura, para colocar qualquer serviço mesmo que a pessoa seja falecida, não te pedem nada, mas para cancelar exigem uma porrada de documentos... Denise, sou um cara calmo, por natureza, mas com a BR T não tem como ficar, às vezes fico pensando se não vale a pena pagar a tal multa e se desvencilhar destas empresas que só querem que a gente cumpra contratos sem que eles também cumpram a parte deles, pois é, nem BR T nem outra qualquer.
O melhor é uma internet sem telefone, existe aqui, mas primeiro vou ver como serão as coisas, e vou agir ou na boa, ou legalmente, sei lá.
Gostei do teu post sobre fidelidade, e acho também que estamos desprotegidos quanto a serviços de telefonia internet, não existe nenhuma empresa que proteja o cidadão, a que tem não me inspira confiança.
Beijos!