sexta-feira, outubro 01, 2010

Quando a gente pensa que já viu de tudo...

... aparecem coisas mais bizarras se esfregando na cara da gente. O caso do menino baleado dentro de uma escola particular me deixou de queixo no chão. E muitas perguntas ficaram no ar. Acredito que não só eu me perguntei isso, como a família do garoto, e muitas pessoas que assistiram à reportagem sobre esse caso no mínimo escabroso.

1) Como alguém entra armado em uma escola particular, cara, cheia de seguranças ao redor?
2) Como uma criança é baleada dentro da sala de aula e ninguém vê nada?
3) Como é que pode uma arma simplesmente desaparecer? Ninguém viu o suposto atirador sair correndo, fugir? Geralmente essas escolas caras são cercadas de seguranças!
4) Por que não foi chamado imediatamente o resgate e a polícia ao se deparar com a criança baleada?
5) Por que ao colocar o garoto no carro para levar ao hospital não foi perguntado quem foi o autor do disparo?
6) E o mais grave na minha opinião: com que intuito foi feita a limpeza do local do crime antes da perícia chegar?

Longe de mim querer acusar sem provas. Não sou advogada nem promotora e muito menos estava lá na hora, mas pra mim essa história está muito mal contada. Tem alguma coisa aí que estão escondendo, seja pelo interesse da escola de se preservar [até entendo esse lado], ou seja pra poupar o suposto atirador. Sinceramente, espero que os interesses financeiros da escola não se sobreponham ao direito da família de pelo menos saber o que aconteceu. Nenhuma mãe nem pai merece passar por isso e ver o caso ser esquecido com o tempo.

6 comentários:

Lindsay disse...

caracoles!
é ainda mais absurdo do que a primeira e lógica impressão.
Não bastasse o ocorrido, ainda me fazem a limpeza????
Ta podre isso, ta podre!!!!
Tadinho do guri... e da família que, por tantos absurdos, além de ficar sem o filho, pode ficar sem respostas e justiça, principalmente. :((((

Ruby disse...

São muitas perguntas sem respostas e esse caso, como você diz, é muito bizarro. Penso na família, os pais, o que devem estar passando diante de uma situação que aparentemente é icógnita, porque se tá na rua, é porque ta exposto aos perigos, agora dentro de uma escola longe de ua localização que oferece riscos é no mínimo misteriosa. Vamos aguardar o desfecho desse caso.

Lú Silva disse...

Pois é Denise, muitas são as perguntas...
Realmente está cada dia mais difícil. Precisa-se urgentemente investir em políticas públicas de inclusão, educação e segurança pública. A situação está passando dos limites.
Este caso que você relata, infelizmente, não é isolado! Uma pena!!!

Abraço querida

Mauro S disse...

Eu tive a impressão de já ter lido este texto aqui ontem, o mesmo início, deve ser o cansaço, sei lá.

Mauro S disse...

Concordo contigo, muito estranho a atitude tomada em todo o caso pela escola, e mais ainda a falta de segurança, sobre este aspecto, não é só nesta escola não, mas em todo o Brasil, enquanto uns e outros brincam de se ofender, pessoas morrem por aí através das balas perdidas, pergunta, quem de fato se importa, pergunta para os candidatos, de fato com a segurança no Brasil?
Eles tem a deles, o resto...
E dá nisto.
Eu escrevi um post sobre segurança, as diversas formas, mas não dá nada, estamos a mercê do mal, infelizmente.
Estou revoltado com o que leio e ouço, às vezes é melhor ignorar visto que não adianta falar, é como se fosse para as paredes.

Gata Lili disse...

parabéns pelo blog! como é o nome dos seus sialatas? o da foto é lindão! miaaauuu...