segunda-feira, abril 11, 2011

Internar ou não? .

Depois do massacre que aconteceu na escola carioca, todo mundo quer uma explicação. Sociólogos, Psicólogos, e estudiosos em geral tentam explicar pra sociedade o que poderia ter levado o atirador a cometer um ato tão insano. Além das explicações, surgem tentativas desesperadas de tentar evitar que isso ocorra novamente. Uns defendem detector de metais nas escolas, outros defendem porte de arma para professores, e outros são a favor de acabar com as armas de vez.

O massacre nessa escola expõe um lado mais perverso: a negligência que doentes mentais sofrem. Além de serem discriminados, de não terem suas doenças levadas a sério, conseguir tratamento psiquiátrico na rede pública de saúde é muito difícil. Pra não dizer impossível. Muito se fala da luta antimanicomial, que acho válido. O problema é que se antes internavam-se pessoas em hospitais psiquiátricos que mais eram depósito de gente, hoje simplesmente não se interna mais ninguém. Ou seja, de um extremo, partiu-se para outro, e em nenhum dos casos pode ser considerado ideal. O tratamento ambulatorial funciona para doentes mentais leves. Um paciente com esquizofrenia paranóide em pleno surto tem de ser internado. Para o bem dele, e da sociedade.

O caso da escola no Realengo é extremo. Mas existem outros casos que saíram na mídia e não tiveram a mesma repercussão, mas merecem ser lembrados. Um, o caso do desgner que foi atingido por um taco de baseball enquanto estava em uma livraria em plena Avenida Paulista. O que mais me deixou triste nessa história é que a morte desse rapaz poderia ter sido evitada, se o cara que cometeu esse ato tivesse sido internado antes. Ele já tinha aprontado uma vez, com o mesmo taco de baseball. Num momento de surto, quebrou a vidraça da mesma loja. E o que aconteceu? Nada! Nem um laudo, nem uma ação. Simplesmente soltaram o cara na rua alegando 'ser só uma vitrine'. Até que ele surtou de novo, voltou lá, e matou uma pessoa. Aí sim o internaram em um manicômio judiciário. O outro, Marcelo José de Araújo entrou em um hipermercado, pegou uma faca que estava a venda, e simplesmente saiu esfaqueando todo mundo que encontrava pela frente. Hoje, meses depois, saiu o laudo atestando: Marcelo é esquizofrênico e deve ser internado.

Ou seja, para essas pessoas conseguirem tratamento, primeiro precisam matar alguém. Não seria mais digno oferecer tratamento antes? Ninguém surta do nada, elas vão dando sinal de que algo está errado. A negligência para com essas pessoas causa um sofrimento enorme tanto para os doentes e suas famílias, quanto para as vítimas.

É claro que é praticamente impossível evitar com 100% de certeza crimes desse tipo. Mas pode-se minimizar. Internar qualquer um em depósito de gente não. Internação para doentes psiquiátricos graves, com direito a tratamento sim. Radicalismo não leva nada a lugar nenhum.

9 comentários:

Lucia disse...

eu sempre digo que as coisas grandes um dia já foram pequenas. O pequeno príncipe já disse isso muito antes também. O que eu vejo é essa desculpa de que não foi nada, foi coisa pequena que não vale a pena se meter ou fazer algo. Ou penso o contrário, tem que fazer logo antes que fique maior. E eu fico muito frustrada e desanimada quando vejo que em geral não há essa consciência.

Mauro S disse...

Oi Denise, na Praia do Cassino há alguns anos atrás um louco matou sete pessoas... sete!
Queriam internar, mas ele está preso, não sei se foi condenado, apesar de ter feito uma pesquisa um dia destes para saber sobre o caso.

Acho que as escolas deveriam tomar atitude, passam muito tempo com os alunos, sabem quem reage de um jeito, quem não, deveriam dar acompanhamento, chamar os pais de todos os jovens uma ou mais vezes por mês, conversar com pais e filhos, as escolas deveriam mostrar aos alunos o que aconteceu e o que acontecerá se outros tentassem, falar o que é certo e o que é errado (não sei se mostram isto ou ainda escondem coisas como no passado quando determinados assuntos eram proibidos serem mencionados)
Acho que tudo tinha que ser as claras hoje em dia.

Ensinar e educar!
Talvez não chegassem a idade adulta como os adultos de hoje, mas querem educar quem já tem a mente doente, aí não tem mais jeito.

A educação está na base, na família e na escola, mas ninguém parece que se importa com isto.

Beijos, Mauro

Mauro S disse...

Eu uso os quatro navegadores, sendo o Firefox como padrão, mais o Chrome, Internet Explorer e Safari.
O Firefox por uma razão!
Beijos, Mauro

Mauro S disse...

Já estou me convencendo que o melhor atualmente é o Chrome.

Zandali disse...

pois eh... estava vendo um reportagem sobre o estudante de medicina qeu metralho as pessoas no cinema, lembra? ele sairá da cadeia em 30 anos e os psiquiatras dizem que ele tem grande chances de realizar os mesmos atos novamente. e pergunto: ele está passando por tratamento sério no presísio onde está??

além disso, devemos pensar na raiz do problema: como nossas crinças estão sendo tratadas hj? que estrutura familiar temos hj?

e por aí vai, tantas questões!
eu estou bastante assustada com o mundo que estamos construindo!

beijo

Palazzo disse...

Isso tudo é muito complicado Millenia, mas é como a Lucy disse lá em cima. Um dia a coisa foi pequena, ou seja, o importante é cortar o mal pela raiz. Aqui em Tarauacá tinha um padre que nas missas sempre falava que nossa sociedade está doente, hoje em dia compreendo bem o que ele falava. Tomamos um porre de democracia, imagina você, se um professor após o primeiro tiro tivesse dado uma cadeirada naquele maluco, e o teria matado, com certeza estaria respondendo por homicídio culposo e estaria encrencado por um bom tempo. Você viu a mulher que ia sendo estuprada e tacou um spray de pimenta nas fuças do safado e ainda foi presa. Perdemos o rumo das coisas em nome dos direitos humanos, ambientalismo ou outra coisa qualquer que seja político ou socialmente correto. As pessoas do sudeste e sul para não falar o resto do Brasil, desconhece completamente a realidade amazônica. Coloca sua assinatura na internet e literalmente assassina um ribeirinho ou colono, sem saber a realidade das coisas. Existe uma coisa que se chama desenvolvimento sustentável que precisa sair do papel. Com carioca vi e vejo isso in loquo. Vou começar a te mandar umas coisinhas para você ver o que é a mídia perversa. Nossa sociedade precisa saber o que quer, mas como se ela está nivelada por baixo?
abçs

Silvia 'Sam' Cássivi disse...

Pior que muita gente é doente e nem sabe, acha que bebe demais ou são espiritas (ouvem vozes e por aí vai).
Não sei o que esse rapaz era mas certamente ele tinha problemas e é triste que crianças paguem por esse problemas.
Defendo a proibição de armas mas quem vai fiscalisar isso?? problema sério, principalmente no Rio... ouvi perguntarem como ele aprendeu a recarregar arma tão raído, fala sério! é Rio! infelizmente só não aprende quem não quer.

Ruby disse...

Denise, muitos crimes no BR poderiam ter sido evitado, se não fosse a insanidade daqueles que põem na rua doentes, psicopatas que vão pra cadeia e logo são soltos, incapazes de conviver em sociedade e acabam praticando crimes maiores. Já vem a Páscoa e esse indulto, quantos crimes e delitos vão acontecer por conta dessa lei infeliz criada pra isso.
Depois que acontece, todo mundo quer saber porquê. Tudo no BR está falido, sucateado, presídios, hospitais pra doentes mentais, "eles" só se importam em desviar as verbas que davam suficientes pra se ter programas dignos. E só nos resta lametar. Mas esse foi um episódio que mezeu com toda a nação, muito triste.

SBIE disse...

Oi querida, internar claro! Mas não agora se ele estivesse vivo e depois de tudo isso que aconteceu.

Muito bem lembrado o outro acontecimento na Paulista ... Sempre quando to na Livraria Cultural agora eu viro pros lados, hauahuauaua...

beijo!