quarta-feira, setembro 01, 2010

Uma época sem cadeirinhas...

Ao ler sobre a nova lei das cadeirinhas para transporte de crianças, não tenho como não lembrar da minha infância.
Naquela época não existia muita coisa a respeito de segurança, principalmente quando o assunto eram carros. Fuscas e Brasílias faziam a festa pelas ruas. Cinto de segurança? Se nem na frente eram usados, imagina no banco de trás.
Andei no banco de trás até os 12 anos de idade. Quando comecei a andar no banco da frente, meu pai me obrigada a usar o cinto, hábito adquiri ao longo desses anos. Antes de existir lei, já andava de cinto. Isso no banco da frente, porque no de trás...
Eu ia leve e solta. Era super comum ir deitada no banco de trás do nosso fusquinha com meus cadernos, adorava pintar e escrever. E minha mãe era doida no volante, o que fazia com que os lápis caíssem toda hora no chão. Somando isso ao calçamento de paralelepípedo predominante na época, era só lápis caindo. Sobre isso tenho uma lembrança engraçada que até hoje eu caio na risada.
Estava eu, toda feliz desenhando, minha mãe dirigindo nosso fusquinha e conversando com uma amiga. Nisso, um dos lápis caiu e rolou pra baixo do banco de carona, e quando eu estiquei o braço pra pegar minha mãe fez uma curva, o que fez com que eu literalmente caísse de cabeça pra baixo e ficasse quicando com a cabeça e com as pernas pra cima. Fiquei um tempo assim até conseguir levantar e voltar pro banco, sem o lapis, e desenhar com os que tinham restado. Eu devia ter uns 5 anos. A cena deve ter sido tosca demais, pior que eu lembro disso e fico imaginando, não tem como não rir. Provavelmente perdi alguns neurônios nessa brincadeira, mas como tenho a cabeça dura, estou aqui firme e forte.
Também lembro da Belina da tia de uma amiga. Muitas vezes ela vinha buscar a gente na escola, e ia toda a criançada entulhada no bagageiro, que era enooooooooooorme!
Lembranças divertidas. Mas agora é todo mundo na cadeirinha.. Pela ''segurança das crianças''. Pequeno detalhe: no busão, no táxi, no metrô não há cadeirinhas. Pois é. E se eu quiser dar carona pra esposa to meu tio e meu priminho de 4 anos? Vou me arriscar levar uma multa? Óbvio que não, agora o guri não sai mais de carro a não ser no carro dos pais.

Para pensar....

9 comentários:

Roberto Tramarim disse...

Que maravilha, agora tenho uma excelente desculpa pra não dar carona a "amigo"(a) com criança de colo.

Ta, concordo, essa foi podre (hehehe)

Mauro S disse...

Oi Denise, as leis surgem com intenções boas, mas muita gente vai ter que ficar a pé porque nem todos tem a tal cadeirinha, e os carros hoje em dia, que eu saiba, não vem com um espaço próprio para adaptarem.
Poderias levar uma criança atrás desde que o pai da criança tivesse a cadeirinha e o carro um encaixe apropriado, acho, mas dar carona hoje para determinadas classes de pessoas, não falo de A, B, C, mas de idade, nem pensar!

Sobre as palavras de verificação:
Um técnico veio aqui e fui obrigado a mudar.
O computador da gente fica mais vulnerável sem elas, que diga-se de passagem, é um pé no saco.
Aquelas letras servem para evitar que máquinas escusas invadam teu blog.
Aquelas letras servem como imagem, pessoas diferenciam letras de imagens, robôs não, tem uma explicação melhor, te passo depois, mas aquelas letrinhas chatas protegem mais nosso blog, infelizmente tive que retornar com elas.

Mauro S disse...

Nem eu sinto falta de orelhões, sabe que estas imagens deste post de hoje, foram em função de um flog teu do passado, sobre coisas antigas, e devido a ele, criei um pra mim também no Floog, mas em seguida deletei-o, naquela época.
Risos.

Vander Leão disse...

Apesar de tudo isso no nosso tempo ainda existia segurança, hj qq pessoa compra um carro em 72 meses e sai pela rua fazendo as maiores barbaridades...por isso a necessida de cadeirinhas...air bag...etc...hehe
Bjssss

Lindsay disse...

hahahaha
eu também estou imaginando a sua situação, de ponta cabeça, quicando... =DDDDDDDDDDDDDDDD
Que bom que não passou disso ;)
Beijos!!!

Palazzo disse...

Tudo é válido quando é para salvar vidas...
abç

Julis disse...

Acho que até demorou essa lei das cadeirinhas!

Isaac Melo disse...

Denise,
estou de pleno acordo contigo!
É cada coia nesse país!
Leis que nem eles mesmos cumprem.

Teu blog cada dia melhor!

Um abração!

Lucia disse...

essas recordações são muito boas.