quarta-feira, janeiro 20, 2010

Planejamento? É de comer?

É impressionante a capacidade de certas pessoas confundirem protestar com vandalizar. Até entendo a revolta de perder tudo, e acredito que protestos são sim válidos. Mas a partir do momento que o pessoal parte pro vandalismo, como vimos várias vezes por aí, sinto muito, mas perdem a razão.

Um dos maiores problemas não só de São Paulo, mas de grande parte do Brasil é a falta de planejamento no cresimento das cidades. Com raríssimas exceções, nossas cidades foram crescendo totalmente desordenadas, e sem pensar no que poderia vir. O pessoal foi chegando, invadindo, e a prefeitura legalizando. Aberrações como Jardim Romano em São Paulo são frequentes. O que mais me deixa de cara é a facilidade do povo invadir, e por fim, a prefeitura não querendo comprar briga, vai lá e legaliza tudo. Onde já se viu construir um bairro em plena várzea de um rio? O problema é que invasões tornaram-se um mercado, e muito lucrativo. O povo vai lá, invade. Tem filho igual coelho - me descupem os politicamente corretos, mas infelizmente é a realidade - e em breve, uma favelinha de 10 casas, torna-se um monstro. Aí, das duas uma: ou a prefeitura tenta tirar, e é obrigada a indenizar. Ou vai lá e legaliza tudo de qualquer maneira. Aí, quando acontece de alagar tudo permanentemente como o caso do Jardim Romano, a prefeitura é obrigada a indenizar, e achar casa pro pessoal. Tudo bem, até aí eu entendo. Só que aí vem a parte chata. Muitas dessas pessoas vendem esses imóveis e adivinha? Invadem outro lugar. E daqui há um tempo, lá vão elas ganhar mais um dinheirinho da prefeitura. Não adianta negar. Isso acontece, e muito. E se acontece é porque tem muita gente por trás ganhando dinheiro. Sem contar a facilidade de não pagar nada. Outra vez li num jornal uma invasora lá na Serra da Cantareira que soltou a seguinte frase: ''Se for pra pagar água e luz, eu não saio daqui, pois aqui tenho tudo de graça.'' Pois é, essa é a mentalidade de muita gente.
E o pior é que cada vez mais estão invadindo áreas de mananciais. E ninguém está fazendo nada. Infelizmente enquanto não levarem a sério a palavra ''planejamento'', vamos continuar sofrendo com casas alagadas, vamos continuar pagando cada vez mais impostos para sustentar todo esse pessoal que não para de invadir e ter tudo praticamente de graça. E o mercado da favelização continuará a crescer bem embaixo dos nossos narizes.

Por outro lado o governo também não faz a sua parte. Aliás, faz tempo que o governo faz a sua parte, se é que um dia já fez. Não é de interesse dos nossos governantes uma sociedade educada. Quanto mais educados são os cidadãos, menos votos vendidos. É melhor pra eles deixar o pessoal invadir, dar casa, e ficar por isso mesmo. E assim, vamos entrando num ciclo vicioso sem fim.

Aliás, desde mil novecentos e bolinha escuto falar da famosa ''revitalização do centro'', e da utilização daqueles imóveis abandonados para moradia popular. Será isso real ou ficção? Pois nunca vi nenhuma tentativa de sair do papel.

3 comentários:

Si Wasabi disse...

Concordo com você! Há muitas pessoas que não protestam, e sim que gostam de fazer muito barulho por nada. Sobre moradia popular, entendo que realmente algumas pessoas possuem muito menos oportunidades do que outras, mas também não é justo elas serem sustentadas por nós. Deveriam então construir uma área de habitação em que eles vivessem, plantassem e não precisassem da sociedade, ou algo assim... dar tudo sem pedir nada em troca é esmola, e esmolas não ajudam no progresso de uma cidade...

Bjs!

Mauro S disse...

Beleza de texto, Denise, concordo plenamente em tudo!
Povo educado é povo sabido, não é bom para eles, quanto mais ignorantes melhor, aí deitam e rolam, é assim mesmo!
Mentalidade zero!

Vi Lua Nova, e ameiiiiiiiiiii!
O filme, minha amiga, o filme!
Mas cada um tem um estilo de filme, sou da comédia romântica, dos filmes universitários com toque romântico, filmes de ação, suspense, drama, menos guerra, terror, violência, isto aí deixo para os noticiários do dia a dia.
Sobre o filme, eu indico!

Srta.Lua disse...

Mas é a pura verdade!

Pra que governo vai querer gente pensando? pra ter trabalho de responder o bando de zequinhas? (putz coitado do zequinha)


bonzãoo texto! ;-)