segunda-feira, abril 03, 2006

Nossa... quanto tempo.. Que horror.. Eu amo demais meu blog, não posso abandoná-lo desse jeito! Então, vamos retomar as postagens.. .E começando com meus azares típicos.
Sim, acho que todo mundo sabe da minha fama de "azares viajões".. Daqueles assim que tem que acontecer bem comigo. O que eu acho que muita gente não sabe, é meu medo de aranhas. Não lembro de ter comentado sobre isso, e se comentei, faz tempo que eu fiz, e muita gente provavelmente não lembra.
Enfim.. Baratas, eu mato sossegado. Desde que elas não voem pra cima de mim, consigo enfrentá-las, com nojo, mas não com medo.
Aranhas, já não tenho essa coragem..
Mas enfim, meu pai raramente sai durante os fins de semana. A não ser que ele tenha compromissos profissionais, ele não sai. É uma pessoa essencialmente caseira (definitivamente eu não puxei ele nesse ponto). E aconteceu que, justo nesse sábado, ele tinha um compromisso, e saiu. Minha mãe também saiu, e eu fiquei sozinha em casa. Já era praticamente meio dia, e eu desci pra fazer algo pra eu comer. Tudo dentro dos conformes. Acabei de fazer meu macarrão, e fui na geladeira pegar uma lata de coca. Quando viro pra trás, pra pegar mais latinhas pra por na geladeira, adivinhem? Dou de cara com uma baita aranha preta na parede.. Ecaaaaaaaaaaaaa! Pior que eu estava completamente sozinha em casa, e pra piorar, descalça. Pensei em enfrentar meu pavor de aranhas, e subi correndo pra pegar um chinelo. Quando eu volto.. tchananan! Cadê a dita cuja? EVAPOROU! Até aí já tinha batido o desespero, mas eu ainda estava pensando em algo útil. Pensando, ingenuamente que a dita cuja tinha ido pra algum lugar ali na lavação mesmo, fechei a porta que dá da lavação pra cozinha. Almocei, lavei a louça, e quando fui subir ... dou de cara com a desgraçada da aranha passeando na porta que dá pra área.. Puuuuuutz, aí me bateu o desespero.. Eu berrava tanto dentro dessa casa, que acho que os vizinhos devem ter pensado que estavam me espancando. A vaca da aranha se escondeu embaixo da mesa, e eu com medo de chegar perto e ser covardemente atacada por aquele ser aracnídeo, peguei o primeiro aerosol que vi na frente e mandei ver.. tsssssss tssssssssss tssssssssssss.. E a aranha se debatia toda. Cheguei a pensar que era uma aranha espécie highlander, pois não morria nunca. Só sei que depois de tacar o aerosol quase que inteiro, finalmente ela se encolheu, e morreu. Ufa! Respirei aliviada, mas nem tive coragem de pegar o cadáver. Esperei meu pai chegar pra pegar e jogar ela na privada e dar descarga. ECA! Só sei que. Pq logo no dia que eu estava sozinha tinha que aparecer esses seres? Aliás, pra que existe aranha? blergh! E viva o baygon!

See Ya!


Image hosting by Photobucket Dreadful Shadows - Through the mirror

Nenhum comentário: