quarta-feira, outubro 20, 2004

Fazia tempo que eu não escutava música eletrônica (ou techno, dance, poperô, putzputz, tuntun, como preferirem). Sempre fui uma pessoa eclética pra música, mas cada fase da minha vida posso dizer que tenho um estilo que prefiro mais. Acho que já cansei de dizer por aqui que sou uma pessoa extremamente musical. Já tive minha fase de "roqueira rebelde fã dos Guns N' Roses", já tive minha fase "clubber", dentre outras, apesar de nunca me encaixar em nenhum esteriótipo (nunca fui de sair toda de preto por aí, ou roupas amarelo berrante). E também posso dizer que mesmo curtindo um estilo de música em determinado momento da minha vida, nunca reneguei os outros.
Enfim, passei alguns anos da minha vida curtindo dance (e ainda curto, e assumo sem vergonha nenhuma) - anos esses em que eu frequentei muito a Rivage, período em que me diverti demais além da conta. Sem contar minha fase "raver", onde não perdia uma. De uns dois anos pra cá mais ou menos, fui me desligando um pouco de eletrônica, e me apegando mais ao Rock, principalmente com a descoberta de bandas que até então nem sabia que existiam, como HIM, Nightwish, Lacrimosa, After Forever, etc.
Ontem, deu a louca em mim. Veio uma música na cabeça e não conseguia tirar ela nem a pau, conclusão, tive que levantar as 5 da manhã e catar o cd pra escutar a dita música, caso contrário eu não iria conseguir dormir (é, cada louco com sua mania). Acabei escutando o cd inteiro e relembrando meus bons tempos, na época que tinha a Rivage na Oktober, e eu tinha uma galerona por aqui.
Conforme fui lembrando de várias coisas boas que passei ao som de música eletrônica, me lembrei de certas pessoas que ao assumirem uma identidade, renegam seu passado. Agora eu digo, qual é a vergonha de assumir que chegou a gostar de tal coisa? Eu tenho uma amiga que adorava pagode. Adorava mesmo, de dançar a noite toda. De repente do nada, começou a curtir metal. Nada contra, só que o que acontece hoje em dia? Ela simplesmente NEGA que curtiu pagode algum dia da vida dela. Agora eu me pergunto.. Pra que isso?
Eu nunca tive vergonha. Aliás, assumo mesmo, que sou completamente eclética, curto putzputz, e curto um bom e velho Rock n´Roll. Existem estilos que eu não curto, óbvio. Mas isso não me impede de me divertir em lugar nenhum.
Muitas pessoas me criticam por isso. "Como você curte HIM e curte dance?". Como se isso fosse proibido.
Na comunidade Nightwish Brasil, houve um tópico sobre isso. Um rapaz perguntou se o pessoal da comunidade só ouvia metal, e cada um expos sua opinião. Teve um fulaninho lá que disse que curtir Nightwish e Bruno e Marrone é não ter personalidade. (sem comparar o mérito das duas bandas ehehe). Eu já penso ao contrário. Ter personalidade é assumir do que gosta sem medo de ser tachado disso ou daquilo!
Sejamos autênticos. Acho que isso é o que vale. Seja pra música ou seja pra outras preferências da nossa vida!

See Ya!!

Gottsha - No One To Answer

Nenhum comentário: